18 de set de 2017

Nu Kua - ORDEM


Mitologia - Quando os povos Hopi e Shansi, do norte da China, chamaram o Grande Caos para o universo, Nu Kua, a Deusa com corpo de dragão, veio para restaurar a ordem. Ela substituiu os pilares do céu pelas pernas da grande tartaruga e cravejou o firmamento de pedras colo-ridas. Seus reparos permitiram que a chuva caísse quando fosse necessário e que as estações chegassem em sua ordem natural. Os dragões nas duas colunas guardam o caminho do Sol e da Lua. O compasso que ela usa na cintura simboliza a ordem.

Significado da carta - Nu Kua flutua para a sua vida a fim de ajudá-la a criar a ordem. O caos está sempre à espreita nas fronteiras da sua vida, ameaçando invadi-la se relaxar por um instante? Você deixou as coisas se acumularem e se sente soterrada por elas? Você se considera excelente na organização da vida do seu chefe, da sua família, do seu parceiro, mas não da sua? Você tem medo da ordem, medo de, se encontrar um sistema que funcione para você, sentir-se presa a ele, incapaz de fluir? Ou talvez tenha criado ordem em sua vida, mas de um modo rígido, sólido, pesado, talhado em pedra. Agora está na hora de alimentar a si mesma com uma ordem que colabore com sua força vital em vez de chocar-se contra ela. Nu Kua diz que, quando a vida está organizada de modo natural, você alimenta seu caminho para a totalidade. Quando impõe algo artificial a partir do exterior, você cria revolta e resistência.

Sugestão de ritual: Jornada até Nu Kua

Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Respire fundo e solte o ar bem devagar. Inspire profundamente e, quando soltar o ar, sinta que está ficando mais leve. Respire fundo mais uma vez e, ao soltar o ar, sinta-se relaxada e à vontade, sinta que está flutuando, subindo, subindo, cada vez mais alto, relaxada e à vontade, confortável e segura. Subindo cada vez mais alto, você flutua leve e delicadamente até chegar ao palácio de Nu Kua. O por-tão principal se abre para você. Você atravessa uma série de portas que se abrem para lhe dar passagem, até alcançar o grande salão do trono e ficar diante de Nu Kua.

Ela a convida para sentar e lhe trazem uma cadeira. Ela pergunta o que você quer, e você diz que precisa de sua ajuda para criar ordem na sua vida. Ela pede uma imagem da desordem na sua vida e você a oferece. Ela faz perguntas sobre desordem e você responde. Então ela diz o que você deve fazer. Ela lhe pede um presente e você o dá de coração. Depois agradece e volta ao portão principal passan-do pelas portas, que se fecham depois da sua passagem. No portão principal, uma nuvem macia e branca se aproxima, e você se deita sobre ela. Ela a leva para baixo, cada vez mais para baixo; você se sente purificada e centrada. Para baixo, descendo, descendo cada vez mais, att estar de volta ao corpo. Respire fundo e, enquanto solta o ar, abra os olhos. Seja bem-vinda!

Deusa Amaterasu Ovni Kami

BELEZA

Deixe-me compartilhar com você o segredo do espelho

deixe-me compartilhar o que só a Deusa do Sol conhece

É um segredo tão importante que libertará você da escuridão um segredo tão delicioso

que deixará o calor dançar no seu coração um segredo tão luminoso

que permitirá que você conheça a si mesma um segredo tão simples

que tudo o que você precisa fazer é abrir os olhos o segredo está

na luz do Sol

nos olhos do espelho Você é a Beleza

Mitologia

Amaterasu Omi Kami é a Deusa xintoísta do Sol no Japão. Quan-do foi insultada por seu rude irmão, Susano-o, o Deus da Tempes-tade, ela se recolheu a uma caverna e recusou-se a sair. Aborrecida com o recolhimento do sol, Uzume, a Deusa-xamã, dançou uma dança engraçada e lasciva para divertir os Deuses e Deusas e provo-car a curiosidade de Amaterasu. Quando esta abriu a porta para espiar, ficou deslumbrada com a própria beleza refletida num espelho que os Deuses e Deusas haviam colocado ali: e então saiu.



Significado da carta

Amaterasu está aqui para dizer-lhe que você tem de se aquecer no brilho da sua própria beleza. Você conhece sua beleza única, ou sente que não pode ser bela porque não se parece com uma modelo ou uma estrela de cinema? Você está ficando velha e sente que a velhice é feia? Talvez você esteja com medo de expressar a sua beleza, com me-do de atrair energias indesejáveis. (Se for esse o caso, talvez você queira trabalhar com Durga: Limites, pp. 69-71.) Amaterasu diz que todas as mulheres têm a luz do Feminino, e que essa luz é bela. Ela aconselha você a abandonar os preconceitos sobre o que é a beleza e deixar a sua beleza aparecer. A totalidade é alimentada quando cele-bramos todos os nossos aspectos, e ser mulher significa ser bela.


12 de set de 2017

LIVROS - A Feminilidade Consciente

A Feminilidade Consciente - Marion Woodman | BAIXAR

http://andressabraganca.com.br/arquivos/AFeminilidadeConsciente_MarionWoodman.pdf

"A feminilidade consciente - A maioria das pessoas não alimenta suas almas porque não sabe como. A maioria de nós, nessa cultura, é filha de pais que, como o restante da sociedade, correm mais do que podem, tentando se segurar financeira e socialmente. Há uma compulsividade à qual a criança está exposta, mesmo desde seus tempos de útero. Frequentemente, o genitor não é capaz de receber a alma da criança, seja qual for essa pequenina alma, ou porque não reserva nenhum tempo para receber ou porque não gosta do que a criança é... As crianças que não são amadas em seu próprio ser não sabem como se amar. Quando se tornam adultas, têm de aprender a alimentar sua criança perdida, a ser sua própria mãe."

As entrevistas apresentadas neste livro mostram a singular perspectiva que Marion Woodman adota diante do feminino e de aspectos como sexualidade, a criatividade, os relacionamentos, os vícios, os rituais de cura e o meio ambiente. De sua autoria, Paulus publicou também A Virgem Grávida: um processo de transformação psicológica.

A autora formou-se em 1979 no C. G. Jung Institute de Zurique e tem seu consultório particular em Toronto. É internacionalmente conhecida como palestrante e organizadora de workshops de consciência corporal.


11 de set de 2017

Mulher Mutante - CICLOS

Mitologia - A Mulher Mutante, ou Estsanatlehi (a que se renova) — como é chamada pelos navajos e pelos apaches — pode mudar de idade simplesmente andando até o horizonte e cruzando-o. Alguns de seus nomes são Mulher da Concha Branca e Mulher Turquesa, que correspondem à mudança das cores do seu vestido à medida que mudam as estações do ano. Os navajos dizem que ela foi encontrada por Coyote, depois de ter nascido da Escuridão e da Aurora na montanha Spruce, com um lençol de nuvens e arco-íris, mantida em segurança em seu berço pelos relâmpagos e pelos raios do Sol. Suas dádivas para o povo são as cerimônias de bênção, as estações e o alimento.


Significado da carta - A Mulher Mutante entra girando na sua vida para dizer que o caminho para a totalidade está em aprender a respeitar os seus ciclos. Ciclos menstruais são um aspecto importante de ser mulher. Nós sangramos mas não morremos, portanto, podemos levar a vida adiante. Continuando a dançar nossos ciclos, chegamos à menopausa quando deixamos para trás a época fértil, de fecundação de filhos, e retemos nosso sangue sábio dentro de nós. Então podemos ser uma fonte de sabedoria para nossos entes queridos e para a comunidade ao nos tornarmos bruxas, o que significa "mulheres sábias".


Você celebra a sua menstruação e a vê como uma época de interiorização? Como uma época de abandono, de deixar morrer para que o novo possa chegar? Ou você adotou o ponto de vista patriarcal de que a menstruação é algo impuro, algo que deve ser escondido? A menopausa enche você automaticamente de medo de ficar velha e feia, de não ser mais valorizada e digna numa cultura que adora a juventude? Você se sente desamparada numa sociedade que leva as mulheres a esconder seus períodos de sangramento, regular seus hormônios tomando pílulas, e adiar a menopausa por meio da TRE (terapia da reposição de estrógeno) ?


Respeitar os ciclos também significa honrar seu processo único, seu caminho único na vida. Você pode estar no meio de um ciclo vital particular ao qual deve render e honrar. A Mulher Mutante diz que a totalidade é alimentada quando proclamamos o poder em nossos ciclos prestando atenção a eles e celebrando-os. Ao celebrar nossos ciclos, nós nos celebramos como mulheres.


Sugestão de ritual: Celebre os seus ciclos

Reserve um horário e um lugar em que você não seja incomodada. Sente-se, fique em pé ou deite-se confortavelmente e identifique o ciclo em que você está. Você pode optar por descobrir ou fazer um símbolo para o seu ciclo atual. Trace um círculo chamando os ele-mentos (falando com eles e pedindo que estejam presentes) ou trans-formando-se neles (ver Vila: Mudança de forma, pp. 185-188). Se estiver usando um símbolo, coloque-o no centro do círculo. Ande ao redor do lado de fora do círculo e preencha o lado de dentro com respeito e honra. Você pode fazer isso tocando sua música predileta e dançando ao redor do círculo, pensando ou cantando "Amo os meus ciclos, gosto de ser mulher". Você pode tocar tambor ou outro instrumento musical. Pode fazer qualquer coisa que celebre você e os seus ciclos. Não esqueça de observar que sentimentos isso desper-ta e expressá-los.


Continue até sentir que a energia do ciclo é forte, então entre no círculo e respire profundamente para as suas células. Deite-se, sente-se ou fique em pé no círculo, o que for mais confortável para você. Deixe a energia de celebração que você criou alimentá-la até o âmago do seu corpo/mente/espírito. Sinta o seu poder de cura refa-zer os tecidos dilacerados e feridos. Sinta-se mulher, orgulhosa por ser mulher, por sangrar, por reter seu sangue sábio dentro de si. Sin-ta-se orgulhosa por estar no meio de um ciclo, qualquer que seja ele. Quando sentir-se alimentada, agradeça à Mulher Mutante e a si mes-ma, à sua feminilidade. Saia do círculo. Libere o que você havia invo-cado. Seja bem-vinda!

Deusa Artemis

INDIVIDUALIDADE

Sou quem eu sou e sei quem sou

Posso cuidar de mim mesma em qualquer circunstância

e posso deixar os outros cuidarem de mim Posso optar

Não existe autoridade

mais elevada do que a minha

meu poder de discernimento é finamente aguçado Tenho autonomia

Estou livre da influência da opinião dos outros Sou capaz de separar

o que precisa de separação - Assim uma decisão lúcida pode ser alcançada

Penso por mim mesma Ajusto a mira
e aponto o arco

Minhas setas atingem sempre o alvo



Mitologia

Artemis, outra Deusa multidimensional reduzida pelos gregos ao domínio da Lua, virgem caçadora e parteira, de fato representa o Fe-minino em todos os seus aspectos. Ela era a caçadora que protegia os animais e a virgem (íntegra e completa em si mesma) que fazia amor na floresta. Quando Ártemis era menina, Zeus, seu pai, quis dar-lhe um presente e perguntou o que ela queria. Artemis respondeu: —


Quero correr livre e selvagem para sempre com meus cães de caça pela floresta e nunca, nunca me casar.



Significado da carta

Artemis atirou sua seta de individualidade na sua vida para ajudá-la a concentrar-se em si mesma. Você tem estado demasiadamente a serviço dos outros sem certificar-se de que conseguiu o que necessita para si mesma? Há muito não tem um tempo ou um espaço só seu? Os limites da sua individualidade parecem difusos e indistintos? Você sente que não tem direito a uma personalidade própria, mas deve sempre pensar nos outros, colocando as necessidades deles em pri-meiro lugar, até não saber mais quem é nem o que quer? Agora está na hora de ser você mesma. Está na hora de prestar atenção às vozes sussurrantes das suas próprias necessidades. Está na hora de resgatar a si mesma, e celebrar e fortalecer a pessoa que você é. Ártemis diz que a totalidade é alimentada quando você honra, respeita e dedica tempo a si mesma. Ela também pergunta como você pode esperar atingir quaisquer alvos se não tem um eu a partir do qual atirar?


Sugestão de ritual: Resgate a si mesma

Isto pode ser feito a qualquer momento e em qualquer Lugar. Você pode optar por fazê-lo a sós ou na frente da pessoa ou pessoas às quais você entregou pedaços de si mesma.

Sente-se, fique em pé ou deite-se com a coluna reta. Feche os olhos. Inspire profundamente e expire. Respire fundo outra vez, ins-pirando para o útero, para o seu centro. Olhe para o seu corpo. Per-gunte a si mesma se estão faltando pedaços. Abra-se a fim de ter uma sensação, visão ou sentimento de onde estão esses pedaços que fal-tam. Por exemplo: você deu ao seu amante sua porção de alegria, e
agora não consegue sentir-se alegre sem ele? Você deu aos seus filhos um pedaço generoso de si mesma, e agora que eles cresceram, sente-se perdida? Chame esses pedaços de volta. Perceba, sinta ou visuali-ze esses pedaços que faltam voltando para você. Deixe-os entrar no seu corpo outra vez, e, à medida que isso acontece, sinta-se ficar mais forte e mais viva. Quando tiver terminado de resgatar-se, talvez quei-ra reforçar seus limites e dar nome às suas partes. (Ver Durga: Limi-tes, pp. 69-71.) Agradeça às suas partes por retornarem, e abra os olhos. Seja bem-vinda!




6 de set de 2017

O Olimpo nas empresas - as deusas vão trabalhar

Existem nas mulheres pelo menos sete arquétipos em sua psiqué que se bem vividos e expressos podem ser uma força na vida da mulher. São as imagens das deusas gregas que aqui se vestem pra trabalhar: 


Mulher Ártemis- mulher caçadora – vai à caça de novas oportunidades, não é aquela que fica esperando pra ver o que acontece, se identifica um problema vai logo atrás das soluções, tem iniciativa, é pró-ativa. Não espera que a mandem fazer, ela se levanta da cadeira, vai lá e faz. É objetiva, nada faz ela se distrair de sua meta, assertiva e auto-confiante. Acerta o alvo com seu arco e flecha. Tem a dose certa de agressividade necessária para firmeza nos seus direcionamentos. Sabe dizer não e traçar seus limites. Tem conexão com a natureza, o instinto necessário à sobrevivência, pé na terra e atitudes ecologicamente saudáveis.

Mulher Hera – mulher social – Fazer alianças é o seu dom. Cúmplice, sabe recepcionar e fazer as pessoas se sentirem bem, Seu olhar é perante o coletivo e o social. Sabe se colocar, se vestir segundo a ocasião, se comunicar, chamar a atenção para si, ser porta-voz. Gosta de ganhar dinheiro, é ambiciosa, deseja sempre o que existe de bom e de melhor, principalmente sua coroa. É rainha nos relacionamentos de parceria. 

Mulher Atena – mulher intelectual – diálogo e escuta é com ela mesma. Saber ouvir é um talento cada vez mais escasso, pois normalmente se ouve já pensando o que vai se dizer em seguida, perdendo parte da comunicação. A escuta sem julgamentos ou preconceitos é a verdadeira arte da comunicação. O diálogo é feito do livre fluir de significados entre duas ou mais pessoas. Utilizando-se da melhor qualidade que a razão pode dar, o pensamento em conjunto pode alavancar idéias inovadoras e projetos criativos de autoria coletiva. Sabe cortar com sua espada aquilo que não está sendo produtivo ou atravancando a execução dos projetos. Esta mulher procura estar sempre evoluindo, estudando se aperfeiçoando em seus conhecimentos. Uma mulher de extrema inteligência também precisa saber comunicar suas idéias e se o momento é o certo e as pessoas são as adequadas para dividir suas idéias.

Mulher Afrodite – mulher criativa – adora um palco pois sabe se expressar. É uma artista nata e tem muitas idéias criativas. Sabe envolver e conquistar os clientes, trazendo a beleza nos momentos mais difíceis. Sabe criar um clima amistoso e agradável, até quando cliente nao tem razão. Sua empatia vem de sua talentosa habilidade de se relacionar primeiramente consigo mesma, sempre se olhando (espelho) para melhor saber onde pode melhorar, cuidando de sua auto-estima e depois percebendo o outro na sua sensibilidade de encontrar o que o agrada. 

Mulher Deméter – mulher cuidadora – Cuida bem de todos e de dos detalhes. É atenta ao clima emocional da equipe, como uma mãe, sabe amparar ou dar críticas construtivos. Considera seus projetos como filhos e vai dar toda sua energia vital até partejá-lo. Sua vontade é visceral, entende os ciclos da vida, tem visão de longo prazo e compreende que só vai colher o que plantar.

Mulher Perséfone – mulher intuitiva – Ótima para criar visões de futuro, planejar, criar possíveis cenários futuros e intuir. Não pergunte a ela como chegou a tal conclusão, confie que seu sexto sentido lhe dirá o caminho a tomar. Ela pode se passar despercebida, mas na hora certa virá como uma luz, enxergando aonde outros não conseguiram vislumbrar. Sincronicidades são comuns perto dela, e pode até mesmo captar telepaticamente, um pensamento do cliente ou do colega de trabalho, podendo se antecipar ‘as demandas e sair na frente. 

Mulher Héstia – mulher sábia – Esta já está lá no topo. Sabe principalmente o momento certo de silenciar. Tem as soluções para quase todos os problemas pois conquistou através da experiência um conhecimento vivido. Se já não tiver se aposentado, ela vai ser uma guia orientando, treinando as que estão chegando agora. O equilíbrio emanado e a harmonia em sua volta, transmitem a segurança de uma mulher que sabe de si e confia que exerce bem sua missão no mundo.



4 de set de 2017

Mulher do Milho - ALIMENTO

Mitologia - Os aborígines nativos e os povos do pueblo * — os Arikara, Pawnee, Cheyenne, Mandan, Hidatsu, Abnaki, Cherokee e Huron — vêem o milho como uma Deusa. A Mulher do Milho reúne as figuras da Mãe do Milho, da Donzela do Milho e da Mulher Amarela. Todas elas se relacionam com o milho como um ser sagrado que se entrega ao seu povo para sustentá-lo e nutri-lo. O Deus criador dos arikara, Nesaru, criou a Mãe do Milho a partir de uma espiga de milho que cresceu no céu. A Mãe do Milho então veio à Terra e ensinou ao povo como honrar as divindades e plantar o milho.

* Aldeias de índios do Arizona e do Novo México, construídas de pedra e adobe.

Significado da carta - A Mulher do Milho tra: seu amor por você na forma de alimento, dizendo que está na hora de você se alimentar. Comer é um ato sagra-do. Algo vivo morre e você o come, seja caçando/matando os animais com as próprias mãos, seja comprando vegetais no supermercado. Parte do fato de ser humano significa provocar a morte para viver. Tratar o ato de comer como uma pequena tarefa, como algo a ser temido ou evitado é denegrir a dádiva de amor da Mulher do Milho e das plantas e animais.

Você tem medo da comida? O mero fato de olhar para ela faz você sentir que está ganhando peso? Você está ocupada demais, cansada demais, envolvida demais com coisas mais importantes do que alimentar-se? Você alimenta os outros mas não se alimenta? Tem um relacionamento ambivalente, de amor e de ódio, com a comida? A Mulher do Milho diz que comer é um dos atos mais básicos da nutrição e que o caminho para a totalidade está em estabelecer um relacionamento correto com os alimentos.


Sugestão de ritual: Refeição sagrada

A hora é a do café da manhã, do almoço ou do jantar, e o lugar é onde você faz as refeições. Você pode fazer isso sozinha ou com seus entes queridos ou amigos. Pode preparar a comida ou pedir que outros a preparem. Quando a refeição estiver pronta, sente-se no seu lugar. Reserve um momento para olhar para a comida, para ver, perceber ou sentir a energia vital do alimento que está diante de você. Em seguida, feche os olhos e respire fundo. Observe os sentimentos que vêm à tona. (Talvez você também queira trabalhar com Deméter: Sentimentos /Emoções, pp. 66-69.) Agora sinta a energia da terra subir pelos dedos dos pés, para a batata das pernas, para as coxas e as-sim por diante, para cada parte do seu corpo, até você se sentir cen-trada, concentrada, consciente e plenamente em seu corpo. Respire fundo outra vez e sinta todas as suas células respirando com você. Agora abra os olhos.

Sirva-se de algum alimento. Respeite as plantas ou os animais pronunciando palavras de gratidão. A medida que se serve de um pedaço, faça-o devagar, esteja com o alimento, com as sensações, com todos os seus sentidos. Mastigue devagar, dando a si mesma o tempo para sentir o paladar, o aroma, os diferentes sabores. Tente sentir ogosto de todos os ingredientes. Ao comer o próximo bocado, con-centre-se na energia vital. Você sente uma vibração enquanto mas-tiga, como impulsos energéticos pulsando na sua boca? Perceba co-mo você e a comida tornam-se uma coisa só à medida que ela se dissolve na sua boca. Engula a energia vital dos alimentos e sinta-a alimentar a sua própria energia vital. Aproveite plenamente o pra-zer do ato de comer. Continue a comer desse modo concentrado, sagrado, estando presente no corpo, prestando atenção a todos os sen-tidos, até ter comido o suficiente. Quando terminar, respire profun-damente e deixe que a energia que você ganhou circule pelo seu cor-po. Agradeça à Mulher do Milho e a si mesma pela alimentação.

Deusa Blodeuwedd

TRAIÇÃO

Nascida de flores

e feita para o prazer

fui dada a Lkew Llaw como esposa Fomos felizes

e passamos muitas horas fazendo amor

até que ele se foi certa manhã, para a corte do Grande Rei
Naquele dia outro homem apareceu e ele era quem eu queria

Suas carícias eram mais doces sua virilidade mais forte
ele prometeu não me abandonar...

Eu não poderia viver sem ele

Juntos planejamos a morte do meu marido E a executamos no ano seguinte Pensamos ter matado Llew

mas ele voltou um ano depois matou meu amante

Corri, para fugir, na esperança de escapar mas os cascos pesados de meus perseguidores logo me alcançaram

O mago que me transformou de flores em mulher

transformou-me de mulher em coruja , como castigo pela minha traição



Mitologia

Blodeuwedd, a Deusa galesa, foi dada em casamento ao Deus do Sol Llew Llaw Gyffes (Lugh) no solstício de verão de Lughnassah. Seu nome foi associado à traição porque ela enganou o marido fazendo-o encarar o complicado caminho para a corte: banhar-se embaixo de um telhado de sapê num caldeirão na margem de um rio, em pé, com uma perna tocando um cervo. Então ela o matou com a ajuda do amante. A história real fala de forças arquetípicas. Blodeuwedd representa a voraz Deusa da Terra, faminta do sangue do rei sagrado para fertizar seu solo.

Significado da carta

O chamado ruidoso de Blodeuwedd se faz ouvir na sua vida, alertando você para uma traição. Como a traição aparece na sua vida? Você teve problemas para escolher amigos, namorados, colegas de trabalho, companheiros confiáveis ? Toda a preocupação, a consideração e a leadade que você demonstra são retribuídas com traição? Você enganou alguém para obter o que queria ? Blodeuwedd diz que no caminho para a totalidade você deve responder à pergunta: "Como traí a mim mesma?", já que toda traição provém da traição a si mesma.

Sugestão de ritual: Jornada até Blodeuwedd

Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Respire profundamente, inspirando segurança enquanto diz ou pensa estas palavras: "Estou em lugar seguro." Respire fundo outra vez, inspirando proteção com estas palavras: "Estou protegida." Faça uma terceira respiração profunda, inspirando aceitação com as palavras: "Sou aceita." Observe que sentimentos vêm à tona quando você inspira confiança, proteção e aceitação.

Agora visualize, sinta ou imagine um lugar ao ar livre onde você possa relaxar. Pode ser um lugar que você conhece e visite regular-mente ou um lugar que existe apenas em sua imaginação. Inspire pro-fundamente e, à medida que solta o ar, dirija-se para lá. Que perfu-mes, cores ou texturas você pode perceber? Inspire profundamente outra vez e, quando expirar, instale-se e relaxe.

Quando estiver pronta, chame Blodeuwedd. Ela aparece diante de você e pergunta o que você quer. Você pede ajuda para curar a raiz da sua traição a si mesma, e ela concorda em ajudá-la. Blodeuwedd cria uma tela de cinema alguns metros à sua frente. Com um estalar de dedos, ela começa a rodar um filme. O filme é a sua infância desde o momento do seu nascimento nesta vida. Ela pede que você mantenha a pergunta: "Em que momento de minha vida fui traída?" no seu coração. O filme chega ao momento que deu ori-gem à sua traição e pára. Se alguns sentimentos vierem à tona, sin-ta-os apenas. Faça o que lhe parecer mais apropriado. Você foi aban-donada? Alguém em quem confiava não estava lá quando você precisou? Não atenderam às suas necessidades infantis? Seja o que for, permita-se olhar para o que aconteceu. Deixe que a sua criança interior ferida expresse a emoção que acompanhou aquela traição.

Blodeuwedd pede que você vá até a tela, segure a mão da crian-ça e a acompanhe saindo da tela. Você volta com ela para o lugar em que estava sentada ou deitada. Pergunte à criança o que ela quer e dê isso a ela. Agora diga que você, adulta, a ama e nunca a trairá. Diga que de fato entende que ela foi ferida e que você, adulta, estará presente sempre que ela precisar. Continue repetindo isso até sentir que ela realmente a ouviu. Agora leve-a de volta para o filme e deixe-a entrar outra vez. Blodeuwedd volta o filme até a cena que deu origem à sua traição e começa a rodá-lo. No momento em que está para ocorrer a traição, você aparece na cena como adulta e pro-tege a criança.

Interiorize a cura que aconteceu. Inspire profundamente para as suas células, para a sua consciência. Você se sente energizada e tran-quila. Então agradece a Blodeuwedd e ela lhe pede um presente. Você o oferece com o coração aberto, e ela desaparece.

Agora concentre-se no fato de estar no seu lugar de relaxamen to ao ar livre. Inspire profundamente e, ao soltar o ar, toque no lóbu lo da orelha esquerda. Inspire novamente e, quando soltar o ar, aper te as pálpebras. Respire fundo uma última vez e abra os olhos. Seja bem-vinda! *

Plataforma online do SUS oferece curso sobre o uso de plantas medicinais

Capacitação é focada na preparação de Agentes Comunitários e de Saúde Indígena, mas disponível para outros profissionais de saúde
Está disponível no Ambiente Virtual de Aprendizagem do Sistema Único de Saúde (AVASUS) o curso Uso de Plantas Medicinais e Fitoterápicos para Agentes Comunitários de Saúde (ACS).  A capacitação prepara o aluno para o uso seguro das plantas medicinais e fitoterápicos, fortalecendo ações e serviços na Rede de Atenção à Saúde. Para realizar o curso acesse o link.
O objetivo é orientar os agentes sobre a importância do uso correto de plantas medicinais e fitoterápicos, disponibilizando informações básicas sobre cultivo de plantas medicinais, assim como orientações sobre a preparação e o uso de remédios caseiros.
Além disso, a capacitação promoverá a interação e a troca de experiências entre os profissionais envolvidos, consolidando uma rede colaborativa de aprendizagem. Esse módulo tem como base as diretrizes da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), em conformidade com os princípios estabelecidos para a Educação Permanente do SUS.
Embora tenha sido desenvolvido, inicialmente, para os ACS, o curso é de grande utilidade para os profissionais de saúde que atuam na saúde indígena, uma vez que o uso de plantas medicinais deve ser estimulado entre a população indígena, que possui rico conhecimento acerca do assunto e acesso a diversas dessas plantas.
O curso é gratuito e online, com carga horária de 80 horas na modalidade à distância, sem limites de vagas.
Veja aqui como se cadastrar e se inscrever no módulo e, caso tenha dúvidas, consulte o FAQ do AVASUS.

28 de ago de 2017

Deusa Brígida

INSPIRAÇÃO

Deixe que eu me aproxime de você através da bruma

através do fogo através das plantas

através das fontes profundas e abundantes com ideias

visões palavras

música que penetra nos ouvidos Deixe que eu a comova

anime estimule

até que suas perspectivas mudem e sua mente/corpolespírito exploda e você seja deixada em pé

no rastro do que foi revelado e a vida pareça muito doce


Mitologia


Brígida, que significa "luminosa", é uma Deusa tríplice do fogo: o fo-go da inspiração, da ferraria, da poesia, da cura e da adivinhação. Sua inspiração foi vital para os bardos (poetas) que a invocavam livre-mente. A lenda diz que Brígida nasceu com uma chama que saía do alto de sua cabeça, ligando-a com o universo. A nova (cristã) e a antiga (pagã) Brígida fundiram-se na figura da santa Brígida no ano de 450. Santa Brígida, filha de um druida, era uma ferreira e curado-ra. Dezenove monjas/sacerdotisas guardam sua pira sagrada em Kil-dare, na Irlanda. Diz-se que, no vigésimo dia de cada mês, ela apare-ce e vigia pessoalmente o fogo.Significado da carta

Brígida vem para abrasar você com inspiração. Você está sentindo falta de direção? De motivação? De energia? Seu caminho está fora de foco, sua vida tornou-se confusa? Você anseia por algo, mas não consegue alcançar? Está na hora de alimentar a totalidade interiori-zando a centelha e o crepitar da inspiração. Brígida diz que uma vi-da sem o fogo da inspiração na verdade é insípida. Ela aconselha ain-da que, ao permitir que a inspiração alimente a sua vida, você se torne mais arguta, mais clara e mais energética.



Sugestão de ritual: Jornada até Brígida

Reserve um horário e um lugar em que você não seja incomodada. Sente-se ou deite-se numa posição confortável, com a coluna reta, e feche os olhos. Quando estiver pronta, inspire profundamente e expi-re com um bocejo, liberando tudo o que houver para liberar. Inspire outra vez profundamente e expire com um assobio. Inspire uma ter-ceira vez e, enquanto solta o ar, visualize ou sinta uma caverna: pode ser uma caverna que você tenha visitado antes, ou uma caverna que só existe em sua imaginação. E então, inspire profundamente mais uma vez e, quando soltar o ar, fique diante da caverna. Passe os de-dos pela parede. Sinta o seu cheiro. Entre.

A caverna é bem iluminada e quente por dentro, e você se vê descendo, descendo, cada vez mais fundo. A sensação de descer pro-fundamente é muito agradável. Há uma luz no final da caverna. Você está no limiar, o ponto em que a caverna acaba e começa o Além. Agora entre no Além. Observe a luz deslumbrante do sol, o frescor do ar e a vivacidade das cores.

Brígida está à sua espera ao lado de um antigo poço de pedra. Você caminha na sua direção pisando na grama macia, esponjosa, verde-esmeralda. Ela diz que está feliz em vê-la e contente porque


você chegou. Você lhe conta que está em busca de inspiração. Brígi-da lhe pede um presente, e você o oferece satisfeita. Então ela intro-duz você num círculo de fogo e acende uma chama no seu chakra da coroa (no alto da cabeça). Você sente uma vibra.ção e um estímulo nesse ponto. Sente sua energia fluir e expandir-se. Seu poder de visua-lização fica nítido e mais forte. Você se sente inspirada!

Está na hora de dizer adeus. Você agradece à Brígida. Ela lhe diz que tudo que você tem a fazer para ativar a inspiração é visualizar a chama no alto da sua cabeça. Você entra na caverna. Agora você es-tá subindo, subindo, subindo através do conforto quente da caverna, sentindo-se relaxada, energizada, revigorada. Você sobe até chegar à entrada da caverna. Saia, respire profundamente e enquanto solta o ar suavemente, sinta que está de volta ao corpo. Faça outra inspira-ção profunda e, quando expirar, se estiver pronta, abra os olhos. Seja bem-vinda!

Gildéptis - SÍNTESE

Mitologia - Gildéptis, cujo nome significa "dama do cabelo comprido", é a Deusa da floresta dos povos Tlingit e Haida do noroeste da América do Norte. Para seu povo ela era os ramos musguentos do cedro. Quando seu povo foi ameaçado pelo destrutivo redemoinho Kaegyihl Depgeesk, que engoliu os navios que navegavam no mar, ela convocou todas as forças naturais da costa, reunindo-as e preparando para elas uma festa suntuosa. Deliciadas com a festa, todas concordaram em trabalhar com ela. Assim, Gildéptis foi capaz de sintetizar suas energias e transformar o redemoinho num rio.

Significado da carta - Gildéptis entra mansamente na sua vida para mostrar que o caminho da totalidade para você agora é a síntese. E hora de juntar os aspectos divergentes, os opostos num todo. Neste momento de sua vida, você pode estar envolvida em conflitos ou oposições. Agora você deve resolvê-los e criar união. Talvez você esteja dissipando a sua energia, sua força vital, em muitas direções, ou tenha colocado muita lenha na fogueira. É hora de descobrir um fio comum que ser-virá para atender às suas necessidades da melhor forma possível. Gildéptis diz que aprendendo a ouvir todas as partes, todos os aspec-tos divergentes, e isso pode incluir sua família, comunidade ou par-ceiro, você pode oferecer o que é necessário para criar a totalidade. A totalidade é criada quando todas as partes são respeitadas e ouvi-das, quando todas as partes são unidas e sintetizadas num todo. As maiores oferendas à totalidade muitas vezes estão nos pontos mais discrepantes.


Sugestão de ritual: Banquete na casa de festas de Gildéptis

Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta. e feche os olhos. 

Inspire profundamente e expire emitindo um silvo "SSSSÍSSSS". 

Em seguida inspire outra vez profundamente e expire desapegando-se de tudo aquilo de que ainda não se desapegou. Então inspire e expi-re pronunciando um "aaaaaaaaah". Sinta, perceba ou visualize um túnel. Pode ser um túnel que você já conheça ou um túnel imaginá-rio. Pode ser um túnel natural ou feito pelo homem. Inspire profun-damente e, à medida que solta o ar, entre no túnel. Ele é quente e bem iluminado, e você começa a viajar para baixo, descendo cada vez mais, indo cada vez mais fundo, mais fundo. Você se sente bem, e vai ficando mais profundamente relaxada à medida que desce. Vocêvê uma luz no fim do túnel. Então sai do túnel e chega à casa dê festas de Gildéptis, que fica embaixo da água.

Ela encontra você na entrada e, em sinal de boas-vindas, leva-a até um grande salão de jantar. Ele está ricamente mobiliado com objetos naturais. Embora a mesa esteja posta para muitas pessoas, você é a única convidada. Gildéptis lhe oferece o lugar de honra. Ela diz que a festa é em sua homenagem, os outros lugares são para todas as partes e aspectos de si mesma.

Ela pede que você chame todos os seus aspectos e você obedece ("chamá-los" significa pedir que venham, chamando-os pelo nome ou convidando os que quiserem participar.) Seus aspectos chegam e tomam seus lugares. Você talvez reconheça alguns, outros podem surpreendê-la; talvez todos lhe sejam desconhecidos.

Com todos os lugares tomados à mesa, Gildéptis diz que essa é uma festa mágica, em que todos os seus aspectos serão alimentados com aquilo de que precisam para que possam sintetizar-se formando um todo, que é você. Ela diz para cada aspecto pedir o que deseja. O primeiro aspecto inspira profundamente e pede aquilo de que precisa. O que foi pedido aparece e é absorvido, aceito e integrado. Então a peça seguinte pede aquilo de que precisa, e assim por diante, até to-das pedirem, receberem, absorverem, aceitarem e integrarem. Você é a última a pedir. O que você pediu aparece, você absorve e, então, sente uma onda de força, de energia, de completude, de totalidade. Você se levanta e, um por um, os seus aspectos vêm na sua direção. Você os abraça e eles se tornam parte de você. Você se sente maravilhosa, viva, energizada, centrada no corpo. Um todo. Então agra-dece a todos os seus aspectos e oferece sua gratidão a Gildéptis.

Você entra outra vez no túnel e começa a subir, subir, subir, sentindo-se poderosa, sentindo-se um todo. Para cima, subindo, subin-do, até chegar à entrada do túnel e sair. Você inspira profundamente e, à medida que solta o ar, volta ao corpo. Quando estiver pronta, abra os olhos. Seja bem-vinda!

21 de ago de 2017

Isis

Isis
MATERNIDADE

Eu concebi carreguei
e dei à luz toda a vida

Então, depois de lhe dar todo o meu amor meu filho

dei-lhe meu amado companheiro, Osíris Senhor da vegetação

Deus dos cereais

para ser ceifado

e nascer outra vez

Eu cuidei de você na doença com minhas artes de cura fiz suas roupas e inventei tecer e fiar

observei seus primeiros passos

ajudando-o a passar da infância para a maturidade Estive com você até mesmo
no final

para segurar a sua mão

e guiá-lo para a imortalidade Você era Tudo
E eu lhe dei tudo

E para você eu fui Tudo

Isis, Grande Deusa, Mãe de Tudo



Mitologia

Isis, conhecida como Au Set ("Rainha Suprema") e Isis Panthea ("Isis, a Deusa de Tudo") foi adorada em muitos lugares, inclusive no Egito, no Império Romano, na Grécia e na Alemanha. Quando seu amado Osíris foi assassinado e desmembrado pelo seu irmão Set, que

- 104 -


espalhou seus pedaços, Isis procurou-os e os juntou novamente. Ela achou todos eles, menos o pênis, que substituiu por um membro de ouro. Por meio da magia e das artes de cura, ela trouxe Osíris de volta à vida; em seguida, ela concebeu seu filho solar Hórus, através do pênis de ouro. Quando os templos de Isis foram transformados em igrejas cristãs, Isis com seu bebé Hórus no colo foi transformada na Virgem Maria com o menino Jesus.



Significado da carta

Isis apareceu na sua vida para lhe dizer que é hora de ser mãe. Você anda desperdiçando sua energia maternal sem guardar nenhuma para si mesma? Assumiu um novo projeto ou teve mais um filho? Sente que algo necessita de cuidado maternal extra, mas não está em con-dições de oferecê-lo? Sua mãe ou quem cuidou de você lhe deu os cuidados maternos de que você precisava? Isis diz que é importante obter os cuidados maternos de que você precisa para curar as mágoas do passado. Todos precisam de cuidados maternos, independente-mente de você ser donzela, mãe ou mulher madura.


Sugestão de ritual: Jornada até his


Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Faça uma inspiração profunda e exale o ar com o som "ma". Faça outra inspiração profunda e libere tudo o que estiver retendo ao fazer o som "ma". Agora, respire fundo outra vez e, à medida que sol-ta o ar, visualize, sinta ou imagine-se num barquinho num rio de águas calmas e límpidas. O dia está quente e ensolarado, e o barco embala você suavemente para a frente e para trás, para a frente e para trás. Você está deitada sobre almofadas macias enquanto o barco a leva.Entregue-se ao calor do sol e ao movimento do barco. O som da água batendo contra o barco a coloca num estado de bem-aventurança, totalmente relaxada. Agora você é capaz de perguntar: "Onde preci-so de carinho de mãe?" Você visualiza, sente ou percebe uma ocasião na sua vida, passada ou presente, em que precisou de cuidados mater-nos e não os recebeu. Deixe que quaisquer sentimentos que venham à tona sejam expressos.

O barco flutua até um cais e pára. Diante de você está o Templo de Isis. Você salta do barco e anda até o Templo. Tire os sapatos e entre nele. Dentro está escuro, exceto por uma lamparina acesa na entrada. Você pega a lamparina e continua entrando nas profunde-zas do Templo de Isis. Encontre um local em que você se sinta bem e coloque a lamparina no chão. Em seguida sente-se diante dela e chame Isis.

Isis aparece e pergunta o que você quer. Você lhe fala sobre o momento de sua vida em que precisou de cuidados maternos e pede que ela dê isso a você. Entregue-se a ela e aceite o seu amor mater-nal divino, até ficar satisfeita e saciada. Isis lhe pede uma oferenda, que você dá de coração aberto.

Quando estiver pronta para partir, agradeça a Isis. Ela desapa-rece, e você pega a lamparina, devolve-a ao seu lugar e sai do tem-plo. O barco está à sua espera. Você entra no barco, que volta ao rio e segue levando-a de volta. Você navega com uma sensação de rela-xamento, revitalização e paz. O barco atraca na margem oposta do rio. Faça uma respiração profunda, solte lentamente o ar e, quando sentir que está pronta, abra os olhos. Seja bem-vinda!