18 de mai de 2016

18 DE MAIO - Celebração do Dia

Dia consagrado a Pan, o deus greco-romano da natureza, fertilidade, sexualidade e vigor masculino. 

Pan era um dos deuses gregos mais antigos, considerado a força vital do mundo, regente dos espíritos da natureza, das florestas e dos animais, protetor dos homens, padroeiro da agricultura e da pecuária, da musica e da dança, além de mestre da cura. Ele tinha, também, seu lado "escuro", causando os medos inexplicáveis e repentinos, a "síndrome de pânico"

Pan era representado por uma figura masculina selvagem, peluda, com chifres e cascos, o pênis ereto, tocando uma flauta. Como uma representação explicita da força dos instintos e da potencia sexual, sua imagem foi usada pelo cristianismo para representar o Diabo, figura inexistente nas antigas Escrituras.Dia consagrado a Pan, o deus greco-romano da natureza, fertilidade, sexualidade e vigor masculino. 

Pan era um dos deuses gregos mais antigos, considerado a força vital do mundo, regente dos espíritos da natureza, das florestas e dos animais, protetor dos homens, padroeiro da agricultura e da pecuária, da musica e da dança, além de mestre da cura. Ele tinha, também, seu lado "escuro", causando os medos inexplicáveis e repentinos, a "síndrome de pânico"Pan era representado por uma figura masculina selvagem, peluda, com chifres e cascos, o pênis ereto, tocando uma flauta. Como uma representação explicita da força dos instintos e da potencia sexual, sua imagem foi usada pelo cristianismo para representar o Diabo, figura inexistente nas antigas Escrituras.

Na África, celebração da deusa Ani, a protetora das mulheres e das crianças, padroeira da terra e da agricultura, responsável pelos ciclos da natureza e pela fertilidade humana, animal e vegetal. Seu consorte, Okuke, era o deus da virilidade, da fertilidade e do vigor físico.



Aproveite esta data para reconectar-se à energia telúrica de Pan, reverenciando-o em si (se você for homem), no seu parceiro ou na natureza livre e indômita. Prepare um altar com pinhas, chifres ou cascos de animais, galhos de pinheiros e cachos de uvas. Queime incenso de almíscar, acenda uma vela verde, brinde com vinho e dance ao som de uma flauta de Pan.



*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário