29 de fev de 2016

29 DE FEVEREIRO - Celebração do Dia

Brighid por Thalia Took

Segundo antigas lendas irlandesas, neste dia as mulheres poderiam propor casamento a seus namorados ou escolhidos. As monjas do Santuário de Santa Brighid, em Kildare, tentaram reivindicar esse direito e São Patrick permitiu-lhes essa  "liberdade de escolha" somente a cada sete anos. Face à insistência de Santa Brighid, o prazo foi reduzido para quatro anos, correspondendo aos anos bissextos.

A escritora e militante feminista Zsuzsanna Budapest vê nesta história o conflito criado entre a antiga cultura da Deusa - que considerava todos os atos de amor manifestações de sua essência - e a repressão eclesiástica patriarcal - que impedia a liberdade de expressão e de escolha das mulheres.

Dia dedicado à deusa Brighid, reforçando, assim, sua proteção no início e no fim deste mês, nos anos bissextos.


*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

28 de fev de 2016

Repost: 6 filmes sobre mulheres que lutaram contra a ditadura militar no Brasil

Repost: http://deliriumnerd.com/2016/03/21/cinema-mulher-ditadura-militar-brasil/

Em tempos atuais, onde alguns pedem a volta da ditadura militarem no nosso país, essa é uma lista cinematográfica necessária e importante para refletir e jamais permitir que esse período infeliz e bárbaro ocorra novamente, destruindo a nossa democracia conquistada com tanta luta e sangue de homens e mulheres. 
São 6 filmes e documentários sobre mulheres que lutaram contra as atrocidades, torturas e crimes cometidos na época da ditadura militar no Brasil.
Atrás de Portas Fechadas
atras-de-portas-fechadas-750x410
O documentário é uma investigação sobre fatores determinantes na construção das convicções político-ideológicas de mulheres durante a Ditadura Civil Militar no Brasil. Enquanto as mulheres das organizações de esquerda lutaram pela participação política contra a repressão, as mulheres da elite brasileira deixaram seus lares apenas provisoriamente para defendê-los da “ameaça comunista”. Esses eventos influenciaram o debate sobre o comportamento e a condição da mulher na sociedade brasileira.
Direção: Danielle Gaspar e Krishna Tavares. Ano: 2014
Repare Bem
_ON CARTAZ REPARE BEM_04.jpg
O documentário “Repare Bem” da cineasta portuguesa Maria de Medeiros aborda a história de três gerações de mulheres que sofreram perseguição política a partir do relato de Denize Crispim e Eduarda Leite, duas anistiadas pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.
Direção: Maria de Medeiros. Ano: 2012
Em Busca de Iara
Iara.jpg
Este documentário relata a trajetória excepcional de Iara Iavelberg. Apesar de ter uma situação financeira confortável, ela decidiu abandonar a família e investir na luta armada durante a ditadura militar. 
(Obs: Está disponível na Netflix)
Direção: Flavio Frederico. Ano: 2013
A Memória que me Contam
A-memória-que-me-contam-2.jpg
A ex-guerrilhera Ana (Simone Spoladore), í­cone do movimento de esquerda, é o último elo entre um grupo de amigos que resistiu à ditadura militar no Brasil. Com a iminente morte da amiga, eles se reencontram na sala de espera de um hospital. Entre eles está Irene (Irene Ravache), uma diretora de cinema que sente-se perdida diante da iminente morte da amiga e que precisa ainda lidar com a inesperada prisão de Paolo (Franco Nero), seu marido, acusado de ter matado duas pessoas em um atentado terrorista ocorrido décadas atrás na Itália.
Direção: Lúcia Murat. Ano: 2013
Que Bom Te Ver Viva
viva-slider1.jpg
O filme aborda a tortura durante o período de ditadura no Brasil, mostrando como suas vítimas sobreviveram e como encaram aqueles anos de violência duas décadas depois. “Que Bom Te Ver Viva” mistura os delírios e fantasias de uma personagem anônima, interpretada pela atriz Irene Ravache, alinhavado os depoimentos de oito ex-presas políticas brasileiras que viveram situações de tortura. Mais do que descrever e enumerar sevícias, o filme mostra o preço que essas mulheres pagaram, e ainda pagam, por terem sobrevivido lúcidas à experiência de tortura.
Direção: Lúcia Murat. Ano: 1989
Zuzu Angel
8df3265792d5
A ditadura militar faz o país mergulhar em um dos momentos mais obscuros de sua história. Alheia a tudo isto, Zuzu Angel (Patrícia Pillar), uma estilista de modas, fica cada vez mais famosa no Brasil e no exterior. Paralelamente seu filho, Stuart (Daniel de Oliveira), ingressa na luta armada, que combatia as arbitrariedades dos militares. 
Direção: Sergio Rezende. Ano: 2006

Fiz uma lista no site Filmow com os filmes e documentários citados. Você pode acessar aqui. 
Obs: Quem souber de mais algum filme/documentário que conta história de mulheres que lutaram na ditadura militar do Brasil, informe pelos comentários, por favor! :)


Recomendo os textos:

28 DE FEVEREIRO - Celebração do Dia

Ceres por Thalia Took
Celebração, na Pérsia, da deusa da terra Zamyaz ou Zamyna, chamada de "o gênio da terra". Reverenciam-se várias deusas da terra e dos grãos, em várias partes do mundo, como Ceres, Deméter, Gaia, Tellus Mater e A Mãe do Milho.

Ritual do Dia:
Prepare, você também, uma pequena oferenda para a Mãe Terra. Coloque em um prato cevada ou trigo em grão e enfeite com folhas de louro e várias moedas. Acenda uma vela verde ou marrom e um incenso de louro ou patchouli. Acrescente algumas pedras ou um cristal, um pouco de terra vegetal e leve a oferenda a uma mata ou deixe-a sob uma árvore.

Medite um pouco a respeito de sua contribuição em favor da Terra, agradecendo à Mãe por seu sustento e por sua saúde, orando por todos aqueles que ainda não despertaram para a necessidade de zelar ou proteger a integridade de nosso planeta e do meio ambiente

Celebração de Erzulie, a deusa haitiana do amor e da sexualidade. Em seu aspecto benéfico, a deusa era a protetora dos namorados, porém, em seu aspecto escuro, ela promovia ciúmes, discórdias e vinganças.

Comemoração de Dione, antiga deusa pré-helênica, regente da sexualidade e da inspiração. Com atributos semelhantes a Juno e DianaDione foi, posteriormente, transformada em uma Oceânide.


*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

27 de fev de 2016

FILMES - Mulan 2

O casamento entre Shang e Mulan está para acontecer, quando subitamente são enviados a uma missão secreta: escoltar três princesas chinesas até a Mongólia, com a finalidade de se casarem com príncipes mongóis e selarem a paz entre os dois reinos. 

Filme produzido diretamente para o mercado caseiro.



Assista pelo Site - Cinema Interativo:

FILMES - O Que as Mulheres Querem

Uma história sobre 11 meninas que vivem em Paris. Cada uma delas têm seus próprios problemas: carreira, vida amorosa, crianças. Cada menina tem seus complexos e virtudes.


Assista pelo Site - Cinema Interativo:


FILMES - O Tigre e o Dragão

A história de duas mulheres, ambas exímias lutadoras, cujos destinos se tocam em meio Dinastia Ching. Uma tenta se ver livre do constrangimento imposto pela sociedade local, mesmo que isso a obrigue a deixar uma vida aristocrática por outra de crimes e paixão. A outra, em sua cruzada de honra e justiça, apenas descobre as consequências do amor tarde demais. Os destinos de ambas as conduzirão uma violenta e surpreendente jornada, que irá forçá-las a fazer uma escolha que poderá mudar suas vidas.

Assista pelo Site - Cinema Interativo:

FILMES - A Excêntrica Família De Antonia LEGENDADO


Sinopse e detalhesEm uma pequena vila holandesa, uma matriarca relembra momentos marcantes de sua vida e os curiosos personagens com quem conviveu. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a independente Antonia (Willeke van Ammelrooy) voltou à cidade natal acompanhada da filha. Assim teve início uma saga familiar que atravessou gerações. Definido como uma celebração da vida e da morte, esta co-produção entre Holanda, Bélgica e Inglaterra ganhadora do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro vai além ao contar a história de uma encantadora geração de mulheres. Comandada por Antonia, a saga familiar atravessa três gerações, falando de força, de beleza e de escolhas que desafiam o tempo. Nesse universo conhecemos curiosos personagens, como o filósofo pessimista, a netinha superdotada, a filha lésbica, a avó louca, o padre herege, a amiga que adora procriar, a vizinha que sofre abusos sexuais e os muitos amigos que são acolhidos por sua generosidade.


O filme se passa durante quase quarenta anos após a Segunda Guerra Mundial, e conta a história da matriarca Antonia que, depois de voltar à vila onde nasceu, estabelece uma comunidade com sua filha.
O enredo se desenvolve em torno da relação das duas com os moradores da vila. Assumem a fazenda da família e alojam um homem simples da aldeia e uma jovem com problemas psicológicos que foi estuprada pelo irmão, além de manter amizade com Kromme Vinger, um filósofo estudioso de Schopenhauer e Nietzsche.

27 DE FEVEREIRO - Celebração do Dia


Cailleach por Thalia Took
Dia da Anciã, uma das manifestações da Deusa Tríplice, detentora da sabedoria. A Anciã podia ser representada por inúmeras deusas, como Morrigan, Baba Yaga, A Mulher que Muda, Befana, Hecate, CailleachEdda, 
Hel ou Sedna
Esse aspecto da Deusa corresponde aos rituais de mudança e transformação, aos períodos de transição e à sabedoria da mulher pós- menopausa que, ao guardar seu sangue, adquire novas habilidades psíquicas, mentais e espirituais.

Celebração da deusa grega da natureza e do tempo Pyrrha, a filha da deusa da terra Pandora. Originariamente, Pandora - cujo nome significa "A Doadora" - era a própria terra, sua energia alimentando as plantas, os animais e os homens. Sob o nome de Anesidora - "aquela que dá as dádivas" -, a deusa era representada como uma mulher gigante saindo da terra por um túnel aberto com machados de pedra pelos gnomos. Com o advento da sociedade patriarcal, Pandora foi transformada em uma vilã, responsável por ter aberto a caixa com todos os males do mundo, assim como Eva, considerada no Velho Testamento como a causa original do pecado e dos males da humanidade.


*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

26 de fev de 2016

26 DE FEVEREIRO - Celebração do Dia

Hygéia por Gustav Klimt
Dia de Hygéia, deusa dedicada à cura e à prevenção das doenças. 

Originariamente uma deusa do norte da Africa, Hygéia foi, posteriormente, adotada pelos romanos. Era representada como uma mulher robusta, madura, tendo uma serpente enrolada a seus pés.


Hygéia era um dos títulos da deusa Rhea Corônis, designando um de seus fartos seios. 
O outro seio era chamado de Panacéia, resumindo as qualidades desta Deusa. Posteriormente, os mitos patriarcais transformaram 
Hygéia e Panacéia nas filhas de Esculápio, o deus da cura.

Ritual do Dia:
Aproveite a data e faça uma reavaliação de seu estado de saúde e de seus hábitos alimentares, mentais e emocionais. Assuma um compromisso para cuidar melhor de seu corpo e comece já aquela dieta, exercício físico ou terapia, sem se desculpar ou adiar mais.

Um encantamento antigo nos ensina como nos livrarmos de algum mal específico. Escreva o nome da doença (ou descreva seus sintomas) em um papel verde. Dobre-o várias vezes e enterre-o sob uma planta, pedindo à Mãe Terra que livre você de todo o mal. Se a planta morrer, coloque outra em seu lugar e agradeça-lhe pelo serviço prestado.

Na tradição Wicca, a noite deste dia é chamada de "A Noite do Pentagrama". Para reafirmar sua conexão ou dedicação à Antiga Tradição, coloque um pouco de cinzas (recolhidas da fogueira de Yule) em seu caldeirão. Invoque a Deusa e trace, com seu dedo indicador coberto com as cinzas, o simbolo do pentagrama sobre seu coração assim que o relógio marcar meia-noite. Na falta das cinzas de Yule, recolha as cinzas de ervas sagradas queimadas em seu caldeirão, como sálvia, lavanda, manjericão ou cedro.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

25 de fev de 2016

Donzela, Mãe e Anciã por Roberta Struzani

Dentro de alguns conceitos assim como boa parte das tradições Pagãs os ciclos das Deusas são divididos em três estágios Donzela, Mãe e Anciã, mas sabemos que o mundo moderno requer uma série de readaptação e não precisamos viver enraizados em padrões anteriores. 

Pensando então que os processos biológicos de crescimento hoje já não são os mesmos, a criança que age como adulta, a mulher com trinta anos que toma anticoncepcionais e não engravida, a Deméter que entra na menopausa antes de ganhar a sabedoria sobre si, então foi preciso dividir em maiores números estes ciclos. O que faz com que as Deusas ganhem mais uma característica fundamental para a interpretação da Roda das Deusas.

PERSÉFONE (como Donzela) rege a infância e a juventude

ÁRTEMIS e ATENA regem a adolescência, o inicio da idade adulta e a transição.

DEMÉTER E AFRODITE regem a maternidade, os relacionamentos e a maturidade

HERA rege a segunda metade da vida, a mulher.

PERSÉFONE (como Anciã) rege a velhice e a morte, a mulher “sábia”.

O fato de haver quatro Deusas competindo pela nossa lealdade nos deixará exauridas, principalmente se a Deusa predominante em você for Perséfone ou Hera que as deixam tão exigentes consigo mesma. Mas é justamente este conflito que muitas mulheres se encontram, e tomar consciência da sua Roda da Vida, irá lhe esclarecer valores, de imediato as alunas dizem já passam a lembrar da Deusa que as domina e das que estão anulando a cada atitude na vida, se optam por um caminho, já refletem, “Olha lá minha característica de Perséfone”. Ou ainda ficam refletindo, “Por isso foi tão difícil me desprender daquele relacionamento, é minha Hera que grita mais alto”. 

Texto de Roberta Struzani do site 

http://odespertardofeminino.blogspot.com.br/2012/06/o-estudo-dasdeusas-interiores-atraves.html

25 DE FEVEREIRO - Celebração do Dia

Nut por Thalia Took

Dia de Nut, a Grande Deusa do Céu egípcia. Ela era representada como uma figura feminina, formando um arco sobre a terra, seu cabelo caindo como chuva e apoiando-se no céu estrelado. Pintada nos sarcófagos, ela era a Mãe que recebia a múmia, cuidando de seu corpo até a ressurreição

Celebração da deusa germânica da morte e da imortalidade Holla ou Holda, manifestada nos ventos frios do inverno. Ela recolhia as almas durante sua "Cavalgada Selvagem" e preparava os campos para os novos plantios, limpando com seu sopro os resíduos das colheitas anteriores. Há vários mitos e significados atribuídos a esta deusa antiga e complexa. Originariamente, era uma deusa guardiã da terra, das famílias e do fogo das lareiras. Os missionários cristãos transformaram-na no demônio, zeladora do fogo do inferno, padroeira das bruxas e ladra das crianças rebeldes.


*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

24 de fev de 2016

Qual Deusa te rege? por Roberta Struzani

Com todos estes estudos com certeza você já encontrou uma Deusa que lhe parece ser sua regência. No entanto é difícil nos avaliarmos, pois existem aspectos em nós, dos quais preferimos não observar. Então nossa mente nos engana, tornando mais difícil a fidedignidade. Por isso o motivo das Vivências, jogos, testes  e até mesmo o curso que nos ensina e também trabalha como um processo de cura, estes trabalhos dirão qual Deusa tem a presença mais forte na sua personalidade. E ainda podendo mapear suas dificuldades de vida, seus traumas, bloqueios e suas virtudes e forças.

Toda mulher possui uma ou duas Deusas Predominantes na sua constituição. É improvável que chegue a trocar inteiramente de Deusa num ponto de transição da sua vida.
Após o resultado, passe a reconhecer duas ou três destas Deusas na sua vida, reflita sobre elas, e as reconheça também em sua mãe, irmãs, amigas, chefe. Obviamente nem todas as descrições da Deusa irá se aplicar a você, até porque existem outras Deusas que te regem e sua própria Deusa Interior que é única, mas procure observar as diferentes Deusas que se expressam em você nas diferentes fases da sua vida.

Por exemplo não importa qual Deusa nos rege fundamentalmente, estar grávida ou cuidar de nossos filhos em fase de crescimento nos levará ao mundo de Deméter e toda a consciência maternal, no entanto você a viverá em forma de Artemis sua Deusa Predominante, ou seja cuidará de sua filha com todo amor, mas irá criá-la para ser livre, sem muitos mimos. Uma mãe Afrodite com toda certeza irá lhe encher de amor, pois junta a característica predominante de amor de Deméter mais Afrodite, no entanto os cuidados com seu filho, será nas suas roupas, em inseri-lo ao mundo social, festinhas, festa do pijama com as amiguinhas em sua casa. Uma mãe Hera já irá fazer tudo conforme a tradição de família, cuidando da sua filha com autoridade, irá tentar manter os ciclos do bebê em horários determinados, hora da mamada, hora do banho e que delicia para ela a hora da reunião de família graças a sua filha. Para a mãe Perséfone por exemplo introduzir sua filha a um conto de fadas, ou contar-lhes histórias e batizá-la, realizar shantala e perceber cada percepção da sua filha, tendo capacidade melhor do que qualquer outra Deusa de manter uma linguagem expressiva com ela, é uma tendência certeira de Perséfone.

Do mesmo jeito que vivenciar um amor, independente da Deusa que a predomina, você estará entrando no mundo de Afrodite. Se vive um casamento então está no mundo de Hera e obviamente irá apresentar um pouco de Hera em sua Roda da Deusa. Se está passando por um momento de auto conhecimento, como uma viagem sozinha para o exterior, onde não conhece ninguém sente-se meio perdida tudo é novo e obviamente nunca pensou e conversou tanto consigo mesma, então está vivendo uma fase Perséfone da sua vida, assim como um momento ruins de morte de alguém próximo, ou o enterro de um bichinho de estimação ou ainda um processo de Depressão todos fazem parte de uma fase Perséfone. Estar lutando mais por uma carreira do que o próprio trabalho, algo que você faz por crescimento por entusiasmo é estar no mundo de Atena, assim como um momento de estudo árduo com paixão de fazê-lo, no período da faculdade por exemplo. Agora um exemplo bem pertinente a muitas mulheres novas de hoje em dia, por algum motivo você decide que quer ficar sozinha, que a vida solteira é muito melhor e você se sente muito mais viva, então viva acaba de adentrar na atmosfera de Artemis. Ficou claro então que você tem uma Deusa que a predomina, as vezes até duas ou três, mas existem fases na vida que a vida te obriga a experimentar novas faces das Deusas, mas você nunca perde a essência da Deusa Predominante.

Uma outra característica importante é observar a Deusa que está mais apagada em você, a que nos testes das Deusas e Vivências para tal finalidade, teve a menor pontuação, correlacionar ela com a de maior pontuação. É bem provável que uma esteja compensando a outra.

Por exemplo uma Deméter vazia enquanto uma Afrodite se destaca muito junto com uma Perséfone, é bem provável que houve grande conflito com a mãe que a levou a anular a Deméter existente nela e ainda como provocação inconsciente ela passou a virar uma Afrodite compulsiva em certos momentos, com vários homens sem disfarçar, a Perséfone apresenta o conflito entre as duas facetas, o olhar para dentro. Algumas vezes, a Afrodite pode até não ser a Deusa Predominante nela, mas grandes bloqueios formaram couraças, mascaras, onde ela adotou Afrodite como uma forma de defesa. Por isso toda vez que houver um déficit muito grande de uma Deusa e uma Perséfone com grande pontuação, que de preferência não seja Perséfone dominante, então deve se ficar atenta para possíveis bloqueios e traumas. Observe o que estes padrões dizem sobre mágoas e ferimentos? Reconhecer os padrões do comportamento inconsciente é o primeiro passo no processo de conciliação e cura. 

Texto de Roberta Struzani do site 

http://odespertardofeminino.blogspot.com.br/2012/06/o-estudo-dasdeusas-interiores-atraves.html

24 DE FEVEREIRO - Celebração do Dia

Shiva nataraja by In-Sine

"Shivaratri", comemoração hindu de Shiva, o deus da destruição e da renovação. Neste dia, as pessoas jejuavam e se reuniam em vigília em seu templo, acendendo lamparinas a óleo e orando a noite toda.

Shiva podia ser representado dançando, cavalgando um touro branco ou ornamentado com cobras e um colar de crânios. Era considerado um deus do ritmo cósmico, da cadeia metabólica e catabólica dos processos vitais e do ciclo nascimento/morte/renascimento. Sua consorte é a deusa Parvati e um de seus filhos é Ganesha, o deus com cabeça de elefante.

Em Roma, "Regifugium", comemoração inspirada em um antigo ritual de sacrifício ou substituição do Rei do Ano para que a terra se renovasse e frutificasse por meio de um novo rei. Este novo rei deveria ser escolhido pela Deusa e coroado por suas Sacerdotisas. Segundo as antigas crenças, quando a terra não produzia ou calamidades naturais aconteciam, a culpa era do Rei. Como sua energia não era mais capaz de fertilizar ou de proteger a terra, ele deveria ser sacrificado ou substituido. Esse ritual foi abolido com o advento das monarquias e da sucessão familiar ao trono.

Celebração nas Antilhas da deusa da fertilidade Attabei, a Criadora Primordial, cultuada por uma casta de sacerdotisas similares às Amazonas e com vários outros nomes, como Attabeira, MomonaGuacarapitaIella e Guimazoa.  


*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur. 
http://www.teiadethea.org/