31 de mai de 2016

LIVROS - A Deusa Tríplice

DanzaMedicina - Dia 26 #ODiarioDaLuaVermelha

Dia 26 #ODiarioDaLuaVermelha


É necessário relembrar que todo e qualquer desequilíbrio em nosso corpo físico é resultado de processos internos mais profundos; são campainhas que nos despertam a entrar em contato com os aspectos de nosso ser que foram renegados ao inconsciente: memórias de dor, crenças limitantes, traumas, desconexão.


Os desequilíbrios em nossos órgãos femininos- útero, ovários, mamas; são indicações de desconexão com o feminino; desta forma seu corpo lhe chama para que você se perceba, se escute, se cure. 

Desequilíbrios mais simples como acnes e cólicas menstruais também são (como todos os outros) resultados de processos psicossomáticos! 

Infelizmente a medicina tradicional ainda caminha a passos lentos em direção a um trabalho mais holístico; já existem pesquisas suficientes comprovando a influência de nossas emoções e padrões mentais na formação de doenças físicas, mas a sociedade continua em um padrão de negação e fuga, quando se trata de olhar para as próprias sombras. 

Assim, muitas mulheres esquecem de seu poder autocurador, enquanto mascaram os sintomas através de pílulas anticoncepcionais, analgésicos, etc. 

Existem alternativas mais holísticas e eficientes. Para isso é importante estar disposta a entrar em contato com aquilo que realmente pode ter gerado este desequilíbrios, com vontade e firme intenção. 

É necessário também se abrir e estar atenta para enxergar os sinais que a vida lhe traz, te mostrando o caminho a seguir em direção à sua cura(você estar lendo isto aqui hoje é um deles); assim, as pessoas e as respostas corretas virão até você. 

É importante acima de tudo, confiar... na vida, em você e seu corpo. Aprender a se entregar e confiar também faz parte do processo! 

Receba cada um destes sinais em seu corpo físico como uma oportunidade para alcançar uma vida mais plena e consciente. Compreendendo a doença como um caminho para o despertar, você estará dando energia e força para que o equilíbrio se restabeleça; em todos os aspectos de sua vida. 

Texto: Morena Cardoso @danzamedicina 
Fotografia @camilla_albano

{REPOST} Texto de Morena Cardoso do site DanzaMedicina (com permissão para publicar) Fonte: http://www.pikore.com/m/1069941973982651488_231320264

31 DE MAIO - Celebração do Dia

Celebração dos deuses gregos Perséfone Plutão, com danças e competições esportivas perto do Rio Tibre, em Tarentum.  

Na mitologia pré-helênica, Pluto era o aspecto escuro da Tríplice Mãe, sendo que seus outros dois aspectos eram formados por Kore e Perséfone. A palavra Pluto significava "riqueza" e "abundância". Na mitologia grega, posteriormente adotada pelos romanosPluto era irmão de Zeus e senhor do Hades, o mundo escuro dos mortos. Foi ele quem raptou Perséfone, a filha amada da deusa Deméter, tornando-a a rainha do mundo subterrâneo.

Persephone, Spring
and Hades Goddess
Nouveau por Phoenixnight
 
Sellisternia, a celebração de Ísis em seu aspecto de Stella Maris, a protetora dos marinheiros. Em Roma, as matronas levavam oferendas para as deusas Juno e Diana.


No folclore celta, comemora-se a linda princesa irlandesa Grainne, que preferiu o exílio com seu amado e a morte a ter de se casar por obrigação com outro. Esta lenda originou-se em um antigo mito sobre a deusa solar Grainne, que escolheu fugir com um jovem e abandonou seu velho marido. A batalha entre o jovem e o ancião descreve a escolha do novo consorte da Deusa, substituindo-se o antigo rei. De uma maneira simbólica, esta lenda expõe os ressentimentos patriarcais em relação a liberdade de escolha feminina e o domínio do homem sobre a mulher, já que o jovem herói é morto e Grainne, ao se ver obrigada a voltar a viver com seu velho marido, opta pela morte.

A antiga tribo celta do povo Averni homenageava Basihea ou Bakeaki, a deusa do céu, criadora dos pássaros e protetora das viagens - físicas ou mentais. Para se conectar a essa antiga e esquecida deusa, invoque-a para desvendar algum segredo, para chamar algum pássaro como seu aliado ou para protege-la em suas viagens aéreas. Oferte-lhe algumas penas ou folhas de árvore, soltando-as ao vento ou dance imitando o vôo dos pássaros, projetando-se mentalmente para a morada celeste da Deusa.

Comemoração do nascimento, da iluminação e da passagem de Buda, com a cerimonia da Tríplice Bênção. As casas e os templos são decorados com flores e flamulas de oração e são feitas oferendas de incenso e arroz pedindo sua bênção.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/


30 de mai de 2016

MÚSICA - Música sagrado feminino


Música sagrado feminino

  • Fabiane Briesch
  • 12 vídeos
  • 160 visualizações
  • Última atualização em 1 de abr de 2016

DanzaMedicina - Dia 25 #ODiarioDaLuaVermelha

Dia 25 #ODiarioDaLuaVermelha

Como lidar com sua FORÇA PRÉ MENSTRUAL, Falando mais a respeito da TPMO que realmente significa "entrar em contato com as nossas sombras e padrões"? 

✨Geralmente não é algo prazeroso, muitas vezes é doloroso, incômodo e te tira da zona de conforto; porém, somente através destes "processos" é que podemos ter uma vida realmente plena e feliz. Com o tempo e a visão correta, estes se tornarão cada mais leves e até bem vindos. 

✨Caso seu espírito, seu coração, esteja clamando por algo, neste período você irá querer tirar da sua vida tudo o que lhe impede de conquista-lo: internamente(um hábito, uma forma de pensar ou de agir) ou condições externas que te bloqueiam de ser que você realmente é.

✨ Caso tenhas algum sentimento escondido, guardado; alguma mágoa, raiva, tristeza, medo, sensação de inferioridade, incapacidade, ciúmes, inveja, etc. Tudo isso também vai vir a luz, amplificado; assim você poderá olhar para estas emoções negativas(e desnecessárias em nossa vida), traze-las elas para a superfície, torna-las consciente e poderá enfim, aprender a lidar com elas, libertar-se delas desde a raiz. 

✨ Caso algo em você ou em sua vida não esteja como você merece, quer ou deseja, neste momento você sentirá uma vontade e força profunda de mudar e transformar isto! 

Quais ações podem ajudar neste processo? 
✨ Ajuste seu ritmo de vida às suas verdadeiras necessidades(estudo do ciclo menstrual);

✨ Assuma a responsabilidade pelos seus processos; lembre-se, os outros são apenas espelhos refletindo o que existe dentro de ti.

✨ Se for necessário, deixe que as pessoas saibam que você está em uma fase mais introspectiva e sensível; fazendo isso com amor, elas terão a oportunidade de lhe oferecer espaço e tempo, como sinal de respeito por você e seu ciclo;

✨ Não crie aversão por estas sombras que irão surgir; honre e receba-as como o que são: uma grande oportunidade! não se cobre tanto, seja gentil com você mesma;

✨ Liberte-se dos apegos; deixe que a natureza cíclica se desvele, se entregue ao fluir da vida.

✨ Expresse suas emoções, inclusive a raiva... lembrando-se do princípio da autoresponsabilidade! 

✨ Nutra suas relações; com sua família, com a natureza, com o seu corpo, seu ciclo, suas emoções... 

✨Assuma um compromisso com você mesma de se dar um tempo, de entrar em retiro(em sua "tenda da lua") quando receber o seu sangue. Sabendo que em breve você irá descansar, ajudará e muito a lidar com mais tranquilidade com o seu período pré-menstrual; 

✨ Saiba que o seu sangue limpa e purifica não só o seu corpo mas todos aqueles aspectos negativos que aparecem durante seu ciclo e a TPM. Então, recolha o seu sangue quando este vier e ofereça ele à Terra, pedindo que tudo isso possa ser transmutado; 

✨ Observe se são os mesmos padrões que vêm a tona todos os meses; se sim, isso é um sinal de que você não está se ouvindo e nem transformando aquilo que é necessário; 

✨ Evite o excesso de açúcar e sal em, mantenha uma dieta rica em fibras, faça refeições nutritivas e regulares, evite álcool, cigarro e carne vermelha; 

✨ Pratique atividades físicas para liberação de endorfina; 

✨Chás de valeriana, tanchagem, angélica, camomila... Óleos essenciais para automassagem: gerânio, rosas, jasmim... 

São todos bem vindos! 
Texto@danzamedicina ~morena cardoso 
Fotografia @camilla_albano

{REPOST} Texto de Morena Cardoso do site DanzaMedicina (com permissão para publicar) Fonte: http://www.pikore.com/m/1068972278613813095_231320264

30 DE MAIO - Celebração do Dia

Diana por Thalia Took
Comemoração de Joana d'Arc. Segundo a lenda, Joana recebeu sua missão das "Três Fadas", sob uma árvore consagrada ao culto da deusa Diana. O Conselho Eclesiástico interpretou sua visão como uma aparição angélica, negada posteriormente. Sua morte foi autorizada na fogueira como "bruxa herege e idolatra". Quinhentos anos depois, no entanto, Joana foi canonizada como Santa.

Antiga celebração das deusas gaulesas da guerra Nemétona, a senhora do bosque sagrado e Nantosuelta, a senhora da água e dos corvos.


Dia de recordar todas as mulheres que foram torturadas, assassinadas e queimadas durante as perseguições religiosas por deterem poderes psíquicos, consideradas "bruxas e seguidoras do demônio". É importante lembrar as vidas e as mortes dessas mulheres, reverenciando, assim, o poder oculto inerente a cada mulher, sua necessidade e direito de expressá-lo livremente e seguramente.

Festival do Milho nos Pueblos do Novo México, agradecendo as dádivas da terra com preces, cânticos e oferecimento de fubá e fumo para as seis Donzelas do Milho. Representando as várias cores do milho - amarelo, vermelho, azul, branco, preto e mesclado -, elas são chamadas de A-ha Kachin Mana.


*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/


29 de mai de 2016

DanzaMedicina - Dia 24 #ODiarioDaLuaVermelha

Dia 24 #ODiarioDaLuaVermelha

Sobre a mulher cíclica; a sabedoria do morrer e renascer. 


A Lua Minguante, no ciclo menstrual da mulher, se refere ao período Pré Menstrual e da famosa TPM. 

Assim como a lua começa a minguar, deixando de estar plena e brilhante. A mulher também vai entrando em um processo sutil de escuridão (fisiologicamente se dá pela queda dos hormônios estrógeno e progesterona). Muitas mulheres infelizmente não percebem o grande presente que a natureza cíclica e este momento nos oferece: a oportunidade de morrer a cada mês, para que possamos renascer de forma mais plena, realizada e consciente. 

Nesta fase surge uma forte necessidade de voltar a sua energia para si mesma. Isso quer dizer, parar de doar a sua energia a outros! Fazer por si e para si; tendo um momento e um espaço de individualização.

Isso explica por que muitas mulheres se tornam hostis, briguentas e impacientes durante este período; Para afastarem as pessoas a sua volta e finalmente poderem ficar sozinhas, respeitando seus tempos e espaço sagrados. 

Nesta fase, tudo aquilo que foi ofuscado pela luz radiante da lua cheia, agora começa a vir a tona! Isso significa você entrar em contato com as suas sombras.
Muitas mulheres dizem que na TPM elas “deixam de ser elas mesmas”; mas a verdade é que na TPM, elas estão sendo mais elas do que nunca! Tudo aquilo que não foi dito, expressado ou resolvido durante o restante do ciclo, todos aqueles “sapos engolidos”, tudo que foi “empurrado com a barriga”, todo aquele choro engasgado... agora, vai vir a tona! 

E qual o benefício disso? Muitos! 

Aqui somos convidadas a entrar em contato e expressar as nossas emoções, e isso salva muitas mulheres de viverem uma vida de somatizações; que com o tempo podem se tornar uma doença, resultado de tudo aquilo que ficou guardado. 

Além disso, ela nos dá força e coragem para tomar aquelas decisões que são necessárias! Temos aqui a oportunidade de nos libertar de tudo aquilo que não nos serve mais(interna ou externamente), abrindo espaço para que junto à Lua Nova, um novo ciclo possa ter início em nossas vidas. 

Texto @danzamedicina ~morena cardoso
Fotografia @camilla_albano

{REPOST} Texto de Morena Cardoso do site DanzaMedicina (com permissão para publicar) Fonte: http://www.pikore.com/m/1068366024770069520_231320264

29 DE MAIO - Celebração do Dia

Ceres por Thalia Took
Ambarvália, festival romano da Mãe do Milho celebrando a deusa Ceres com procissões e cânticos. As pessoas passavam sobre os campos recém-semeados pedindo as bênçãos da Deusa para ter abundância nas colheitas.

Antigamente, na Hungria, as mulheres enfeitavam-se e dançavam na entrada das lavouras, pedindo às deusas do tempo proteção contra o granizo e as pragas.


Dia do Carvalho, na Inglaterra. Neste dia, faziam-se invocações para afastar as pragas, as chuvas de granizo e para garantir a saúde dos animais e dos camponeses. Oferendas de animais eram feitas; eles deviam atravessar os campos por três vezes antes de serem sacrificados. Outras oferendas consistiam de guirlandas de flores, frutas, bolos de milho, leite, vinho e mel. Ainda hoje, são usados galhos, folhas e frutos de carvalho para enfeitar as residências, atraindo, assim, os poderes protetores do carvalho.

No Brasil, pode-se substituir o carvalho por qualquer árvore frondosa e resistente, como mangueiras ou figueiras. Antes de tirar qualquer galho vivo de uma árvore, sempre peça licença a seu guardião, oferecendo em troca alguma coisa, como um fio de cabelo seu, uma moeda ou um pouco de fubá.

Dia da mulher, em Ibo, na África e festa da colheita dos morangos dos índios Iroquois.


Festas romanas homenageando o deus Marte com sacrifícios de carneiros, rituais de purificação, danças e competições esportivas. 


*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

28 de mai de 2016

FILMES - Contato

Durante muito tempo Ellie Arroway (Jodie Foster) tentou manter contato com vidas extraterrestres inteligentes. Deixou de lado sua vida particular e até mesmo o amor do teólogo Palmer Joss (Matthew McConaughey). Depois de anos seu sonho se tornou realidade. Com origem na distante estrela Vega, chega à Terra uma informação cifrada e Ellie é a primeira pessoa á captá-la e a única disposta a seguir cegamente a mensagem alienígena. Esta é a sua grande chance de fazer contato, mesmo que para isso tenha que correr risco de vida.

Assista pelo Site - Cinema Interativo:

DanzaMedicina - Dia 23 #ODiarioDaLuaVermelha

Dia 23 #ODiarioDaLuaVermelha

Chegamos hoje na Lua Minguante! O Projeto está chegando ao fim... mas antes, quero lançar para vocês um desafio muito especial!


Enquanto eu escrevia o projeto #ODiarioDaLuaVermelha no decorrer destas últimas semanas, recebi testemunhos incríveis, de mulheres lindas, que estão ouvindo e se entregando a este chamado de reconexão e cura do Sagrado Feminino. 

Este chamado surge geralmente de formas bem variadas; e para cada mulher, este processo traz diferentes respostas e manifestações. 

Porém, para todas nós, que estamos o trilhando neste caminho, ele representa uma libertação: do medo, da dor, dos padrões e crenças limitantes... 

Para todas nós, este caminho do Sagrado Feminino representa a tomada de consciência, o empoderamento, a união; apropriação da própria vida, do próprio corpo e dos caminhos traçados! 

Então, aí vai:
Desafio vocês a escrever um texto autoral sobre a sua experiência e caminhada pessoal no despertar e cura do seu Sagrado Feminino! Escrevam sobre este processo de reconexão... de coração a coração; 

Como começou? Quais foram os maiores desafios? O que ele te trouxe como transformações? Como você vê e se relaciona com seu feminino hoje..? Estas são só algumas dicas, mas fique livre para criar o seu próprio testemunho!!!

Escolha uma foto sua, de algo ou alguém, que tenha uma representação importante para você neste processo! 

✨Não se esqueçam de colocar o hashtag #ODiarioDaLuaVermelha 
Dessa forma, quem acessar o hashtag do Projeto, vai poder ler todos estes testemunhos juntos; percebendo que sim, é possível ir além e se transformar! Percebendo que o salto quântico é possível para todas nós, é só querer!!! 

✨Não se esqueça também de marcar a página da@DanzaMedicina ! Assim poderei escolher alguns textos bem especiais e inspiradores para postar aqui pela minha página também! 

E então? .. Quem quer firmar comigo esta teia? 

Por Morena Cardoso 
Fotografia @camilla_albano

#DanzaMedicina #SagradoFeminino

{REPOST} Texto de Morena Cardoso do site DanzaMedicina (com permissão para publicar) Fonte: http://www.pikore.com/m/1067529882491430679_231320264

28 DE MAIO - Celebração do Dia

Celebração de Python, a grande serpente pré-helênica, filha partenogênica da Terra, nascida da lama após o Dilúvio. Na mitologia gregaPython era filha da deusa Hera, nascida sem a interferência de Zeus e morava sob a fonte sagrada de DelphiPython personificava o espírito profético do Oráculo de Delphi, comunicando-se por meio das Pitonisas, as sacerdotisas oraculares. Por viver dentro da terra, Python conhecia todos os segredos e transmitia-os pelo transe apenas para as mulheres. Mesmo após a usurpação do templo que pertencia à Mãe Terra pelos sacerdotes de Apolo, o oráculo continuava pertencendo às Pitonisas.

Purificação anual de Pythia, a sacerdotisa de Delphi. Antes de começar as profecias, Pythia e todos aqueles que consultavam o oráculo, eram submetidos a uma purificação ritualística com fumigações, devendo mastigar folhas de louro.


Celebração da deusa-serpente Uadjit, protetora do baixo Egito e do delta do Rio Nilo juntamente com a deusa Nekhebet. Juntas, elas formavam Neb Ti, o símbolo da unificação do Egito. Uadjit ou Buto, era descrita como uma serpente alada, coroada e com rosto de mulher.

Nas antigas culturas e tradições, a serpente era o símbolo da vida, da morte e do renascimento, o poder transformador e regenerador da Deusa. O cristianismo deturpou o significado sagrado, transformando-a em uma imagem maléfica. No entanto, ainda persistem costumes e tradições folclóricas homenageando o poder regenerador das serpentes, como a Festa dei Serpari, em Abruzzi, na Itália, onde milhares de pessoas vão em procissão, segurando serpentes nas mãos, até a igreja construída sobre um antigo templo dedicado à sereia Circe

Depois da festa, as pessoas comem pães em forma de círculo ("ciambelle"), relembrando, sem saber, o antigo ritual de celebração da Deusa.

Comemoração budista dos mortos.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/




27 de mai de 2016

DanzaMedicina - Dia 22 #ODiarioDaLuaVermelha

Dia 22 #ODiarioDaLuaVermelha

Como você se relaciona com o prazer? 


Para mim, prazer tem a ver com o quanto você se permite viver a vida em entrega e abundância. Sobre o quanto você se conecta positivamente com o que existe ao seu redor; despertando seus sentidos e aumentando a freqüência de sua energia através destes pequenos estímulos. 

A Sexualidade Sagrada, nos ensina que somos completas, nos mostra que não mais é necessário buscar o prazer no outro. Nos ajuda a compreender, a um nível mais profundo, que o princípio e o fim desta busca pelo prazer está dentro de nós. 

A Sexualidade Sagrada nos convida a tirar nossas máscaras e nos tornamos mais autênticas e conscientes a respeito das reais motivações em nos relacionar sexualmente. 

Uma trepada, um “sexo livre” e efêmero, que falta intimidade e conexão, não nos ajuda muito neste caminho. Geralmente, ele nos leva a algumas horas de satisfação frente a uma busca eterna e frustrante por algo que seja verdadeiramente satisfatório. 

Sexo não é ação, sexo é energia. 

A Sexualidade Sagrada nos convida a abandonar os padrões limitantes sobre este sexo criado por uma vida de pornografia, fantasia e masturbação; sobre um sexo obcecado por genitais e ejaculação, como se estas fossem as únicas fontes de prazer. 

A Sexualidade Sagrada nos convida pra ficar apenas com o que se é; nosso corpo, nossas sensações e nossa energia. 

Ela convida a todos nós, homens e mulheres, a nos reconhecer e nos honrar como Shiva e Shakti: a divindade masculina e feminina. Ela nos convida a olhar nos olhos e enxergar, a respirar junto, profunda e conscientemente. A mergulhar nos cheiros, gosto, tato... a conectar os centros de energia, a mente, o coração, dançando juntos e descobrindo um ritmo único e particular, de servir e de se entregar. 

Ela nos convida a dedicar mais e mais tempo ativando em prazer o corpo como um todo; explorando e descobrindo o verdadeiro potencial energético desta matéria densa; ativando nosso potencial bioenergético, despertando nossa consciência corporal, refinando e expandindo o nosso poder orgástico; permitindo então que novas possibilidades se desvelem.


Através da Sexualidade Sagrada, podemos direcionar nossa energia para desobstruir e ativar nossos canais e centros de energia; além de experenciar novos estados de consciência, mais amplos e elevados. Através de uma relação sexual consciente, somos capazes de acessar e liberar memórias celulares de dores, traumas e abusos. Assim, não estaremos apenas nos regalando um bom orgasmo, estaremos nos curando e nos descobrindo a partir de lugares muito mais interessantes, complexos e profundos. Não abriremos apenas as nossas pernas, mas também nossa alma, nossa mente e nosso coração. 

Texto Morena Cardoso@DanzaMedicina 
Fotografia@camilla_albano

{REPOST} Texto de Morena Cardoso do site DanzaMedicina (com permissão para publicar) Fonte: http://www.pikore.com/m/1067022539773191940_231320264

27 DE MAIO - Celebração do Dia

Cerimônias noturnas dos jogos tarantinos, em Roma, dedicadas à deusa Proserpina e às Moiras. Também chamadas de Parcas, eram três essas deusas do destino: LachesisClotho e Atropos. O propósito dessas cerimônias era a cura das doenças e dos infortúnios. 

As Moiras eram as filhas de Nyx, a deusa da noite, tecelãs do destino dos homens. 
Clotho, a tecelã, tecia o fio da vida com seu fuso mágico; 
Lachesis, a medidora, o avaliava e media, enquanto 
Atropos, a inevitável, o cortava com sua tesoura mágica.

Embora identificada, às vezes, com a deusa grega Perséfone, rainha do mundo dos mortos, Proserpina era uma antiga deusa agrária, guardiã das sementes, sendo responsável por elas desde sua germinação até seu apodrecimento. Posteriormente, foi considerada a senhora do mundo subterrâneo, equiparada à deusa grega Perséfone.


Celebrações romanas para Diana, a deusa da Lua, protetora das florestas e dos animais.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/


26 de mai de 2016

As Sete Deusas Gregas

As Sete Deusas Gregas

1. ARTÊMIS / DIANA
Ártemis (Lua): é a mulher atlética, que aprecia a vida ao ar livre e os animais. Ama a natureza e dedica-se á proteção do meio ambiente. Respeitada, sabe viver só e sente-se bem assim. Pode ser vingativa e cruel, se ultrapassarem o limite imposto por ela mesma no seus encontros; irmã gêmea de Apolo, deus do Sol. Sua mãe, Leto, era uma divindade da natureza, filha de Titãs. Seu pai era Zeus, deus líder do Olimpo. Deusa do parto.


· Pedido ao pai: arco e flechas, uma quadrilha de cães de caça, ninfas para acompanhá-la, uma túnica curta para correr, montanhas e selvas como seus lugares especiais e a castidade eterna. Seu pai lhe concedeu tudo e mais o privilegio de fazer suas próprias escolhas.
· Deusa da caça e da Lua – personifica o espírito feminino independente. Podia objetivar qualquer alvo e sempre acerta-lo.
· Capacidade de concentração e direcionamento possibilitam-na atingir qualquer meta.
· Como deusa virgem, era imune de se apaixonar e representa um sentido de integridade, uma atitude de cuidar de si mesma. Esse arquétipo possibilita a mulher sentir-se completa sem um homem.
· Representa as qualidades do movimento feminista: empreendimentos e competência, independência dos homens e das suas opiniões, e preocupação pelos atormentados, pelas mulheres fracas e pelos jovens. Irmandade entre as mulheres.
· Afinidade com a selva e a natureza não doméstica, responsável pela identificação que algumas mulheres experimentam entre si mesmas e a natureza, quando saem com mochilas pelas montanhas, adormecem no luar, caminham numa praia deserta etc.
a) Trabalho: Empenha-se no trabalho que tem valor subjetivo para ela. É estimulada pela competição e não se amedronta com oposição. Os interesses perseguidos por ela não têm valor comercial e não conduzem a uma carreira. Algumas vezes, o interesse é tão pessoal ou fora do comum, tão absorvente quanto ao tempo, que a falta de sucesso no mundo ou a falta de relacionamentos são garantidos.
b) Homens: Fraternal.
· Como sua irmã, Apolo é andrógeno. O casal Ártemis-Apolo é o modelo mais comum de relacionamentos da mulher-Artemis. Pode resultar num casamento assexuado, amigável.
Algumas mulheres até casam com homossexuais e valorizam o companheirismo e a independência que cada parceiro permite ao outro.
· O 2º padrão comum é o de envolvimento com homens que as sustentam. Tal homem é uma pessoa com a qual ela se sente à vontade. Se for incompatível pode lembrar os conflitos pai-filha: o marido não aprova suas atitudes, é rebelde etc.
· O 3º tipo de homem atraído pela pureza de Ártemis, sua virgindade e identificação com a natureza primitiva, é o tipo Hipólito, um jovem atraente, que se dedicou a deusa Ártemis e ao celibato. Tais homens que parecem ser tão puros, ficam ofendidos pela sexualidade pura e simples. Eles podem estar na fase final da adolescência ou no começo da fase adulta e ser castos.
c) Filhos: Estar grávida ou amamentando não é motivo de realização para a mulher - Ártemis. Não sente atração para ser mãe, no entanto gosta de crianças. Quando mães, encorajam a independência, ensinam seus filhos a se defenderem sozinhos e pode ser cruel na defesa deles.
Não olham para trás com saudades da época que eram bebês, olham para frente, quando seus filhos serão independentes.


2 - ATENAS OU MINERVA
Atená – Palas: mulher extremamente profissional e prática, busca realizar-se numa carreira onde possa mostrar sua sabedoria. Equilíbrio, cultura e educação. Não briga à toda, envolvendo-se emcausas justas, às quais defende com argumentos irrefutáveis, o que lhe concede quase sempre o merecimento da vitória.


· Filha do pai: Saltou da cabeça de Zeus, usando uma lança aguda numa das mãos, emitindo um grito de guerra.
· Protetora, conselheira e patrona de homens heróicos, tomou o partido da patriarquia.
· Como deusa da sabedoria, era cohecida por suas vitórias e soluções práticas. Como arquétipo, é seguida por mulheres de mente lógica, governadas pela razão.
· Quando a mulher reconhece o modo intenso com que sua mente trabalha, como uma qualidade feminina, ela pode desenvolver uma auto-imagem positiva, ao invés de se amedrontar de estar masculinizada.
· Como deusa virgem, é como Ártemis, motivada por suas próprias prioridades. Difere desta no sentido que procura a companhia dos homens, precisa estar no meio da ação e do poder masculino.
· Personifica o “adulto sensível” com sua conformidade aos padrões adultos tradicionais e a falta de romantismo ou idealismo.
· É estrategista e eficaz para a guerra e outros assuntos políticos
· Como deusa das artes faz coisas que eram ao mesmo tempo úteis e esteticamente agradáveis.
· Enquanto arquétipo de “filha do pai”, representa a mulher que tende aos homens poderosos, que têm autoridade e poder (homem patrão). Muitas secretárias têm esse tipo.
· Vive o justo meio termo, nunca os excessos.
· Estar encouraçada é seu traço. As defesas intelectuais conservam tal mulher longe do sofrimento. No meio da agitação emocional, permanece impermeável, enquanto observa, qualifica e analisa o que esta acontecendo.
· Mulher Atenas: Prática, desconfiada, desinibida, segura. Tipicamente tem boa saúde, não tem conflitos mentais e é fisicamente ativa. Usa roupas práticas, duráveis e sem influência da moda.
a) Trabalho: trabalha em direção a um fim, aceita a realidade e se adapta. No lar, se sobressai nas artes domésticas, usando sua mente prática e olho estético para dirigir uma ordem doméstica eficiente.
b) Relação com as mulheres: Distante ou evitada. Têm falta de amigas. Competitiva.
c) Relação com os homens: Atrai-se por homens bem sucedidos, e não tem paciência com pessoas sonhadoras. Para ela, adjetivos como neurótico, bom coração e sensível, descrevem os perdedores. Só os heróis tem vez. Gosta dos homens como amigos ou mentores, e não tanto como amantes.
d) Filhos: Como mãe, não vê a hora de seus filhos chagarem a maturidade para fazerem projetos juntos, e mostrar-lhes a vida. Adora filhos competitivos, extrovertidos e intelectualmente curiosos.


3 - HÉSTIA OU VÉSTIA
· Recusou-se a casar, permanecendo virgem para sempre. Então Zeus, lhe concedeu um privilégio, ao invés de um presente de casamento: ela tem seu lugar no centro da casa para receber o melhor em ofertas.
· Proporciona a mulher sentimento de integridade e inteireza. Se concentra em sua experiência interior subjetiva. Fica absorvida quando medita.
· Seu modo de aprender, é olhando-se interiormente, e sentir-se intuitivamente.
· Deusa da lareira: arquétipo ativo nas mulheres que acham que cuidar do lar equivale à meditação. Este arquétipo de desenvolve em comunidades religiosas.
· Arquétipo da mulher sábia que tudo passou e viu, portanto experiente.
a) Trabalho: falta-lhe ambição e ímpeto, não valoriza o poder. Destacam-se em profissões em que se requer calma e paciência.
b) Mulheres: tem poucos amigos e não se interessa por conversa fiada, política ou intelectual. Seu dom é ouvir com o coração compassivo, permanecendo centrada no meio de qualquer perturbação que uma amiga lhe traga, proporcionando um lugar caloroso ao lado de “sualareira”.
c) Homens: sexo não é muito importante. Sexo é como vir para casa ou um santuário. Adapta-se a forma tradicional do casamento. É fiel, embora não exija fidelidade. Pode aparentar dependência, porém mantém sua autonomia interior, uma em si mesma. Não precisa de um homem para sentir-se emocionalmente completa. Ela prefere cuidar do lar, aprecia a autonomia de decidir como será sua casa e gosta do amparo econômico que lhe permite tempo para suadedicação.
d) Filhos: Pode ser um pouco desligada como mãe, quando se volta para o interior, e seu amor pode ser uma sombra por demais impessoal e não demonstrado. Mas usualmente dá aos filhos amor e atenção. Permite aos filhos que sejam eles próprios pois não tem ambições para eles. Seus filhos não precisam se rebelar.


4 - HERA OU JUNO
Hera – (Juno): mulher ligada ao poder. São as líderes políticas, governantes, regentes. Por outro lado, são apegadas à tradição, não abrindo mão de um casamento convencional, com moralidade,fidelidade e companheirismo, sendo boas esposas e “imperatrizes” em suas casas.
· Irmã e esposa de Zeus. Ciumenta, sua raiva dirigia-se à “outra” e nunca à Zeus. Outras essas que haviam sido enganadas. Hera vingava-se nelas em seus filhos ou nos espectadores.
· Representa os três estados na vida da mulher: virgindade, casamento, separação e viuvez.
· Representa o desejo ardente de ser esposa. É capaz de se estabelecer numa relação, ser leal e fiel, suportando dificuldades com o companheiro.
· Casamento aqui tem três aspectos: a satisfação de uma necessidade interior, reconhecimento exterior entre marido e esposa e luta pela totalidade através do “matrimônio sagrado”.
· Reage a perda com raiva e não com depressão.
a) Trabalho: aspecto secundário em sua vida, porém pode ser boa e alcançar êxito aí. Contudo, se não for casada, se sentirá fracassada.
b) Mulheres: Quando está só, mantém relações sociais, mas casada se afasta das amigas. Suas amizades não são aprofundadas.
c) Homens: atraída por homens de sucesso. Supõe que sexualidade e casamento vêm juntos. Depende do marido para despertá-la sexualmente. A idéia de sexo submisso provavelmente surgiu com ela. O dia de seu casamento é o mais significativo de sua vida, na qual não existe a palavra divórcio.
d) Filhos: São parte de sua função como esposa. Não é muito maternal, a menos que Deméter apareça. Pode chegar a usar os filhos para manter o marido.


5 - DEMÉTER OU CERES
Deméter - é a mulher-mãe. Gosta de estar grávida, de amamentar e de cuidar de crianças. Geradora não só da vida mas também de sentimentos, emoções, experiências. É a que protege, acolhe e alimenta, é a que se apresenta com reservas aparentemente inesgotáveis de energia. A que cuida de tudo o que é pequeno, carente e sem defesa. entre os dois mundos, não temendo a morte.
· Deusa do cereal, nutridora e mãe.
· 4ª esposa real de Zeus, também seu irmão, com quem teve uma única filha: Perséfone.
· O rapto de Perséfone: Ela estava colhendo flores quando foi atraída por uma flor. Ao estender a mão para pegá-la, o solo abriu-se emergindo das profundezas da terra, Hades em sua carruagem de ouro puxada por cavalos pretos. Ele apoderou-se dela e sumiu. Deméter ouviu os gritos e procurou-a por 9 dias e 9 noites, sem nunca comer, beber, nem dormir. Ela retirou-se do Olimpo indignada. Assim, nada podia nascer. Então Zeus implorou a Deméter que voltasse. Ela recusou-se e disse só mudar de opinião se Perséfone voltasse. Zeus trouxe a deprimida Perséfone de volta, mas antes Hades lhe deu algumas doces sementes de romã, que ela comeu. Correram, mãe e filha e se abraçaram, então Deméter pergunta se ela havia comido algo no mundo das trevas. Em caso negativo, ela seria completamente devolvida à mãe. Mas por haver comido, passaria dois terços do anocom a mãe e o restante com Hades.
· Arquétipo da mãe, fornecedora de alimentos materiais e espirituais. Motiva as mulheres a nutrirem os outros, serem generosas no dar. Representa o instinto materno, o desejo de estar grávida e de ter bebê, ou ainda ser mãe de criação, babá ou algo no qual possaexpressar o amor maternal. Como mãe angustiada, vive em depressão.
a) Trabalho: Profissões educativas ou de assistência, inclinadas a empregos “femininos”.
b) Mulheres: Qualquer inveja ou ciúme será em relação aos filhos. Sendo estéril, sente-se amargurada pela gravidez de outra. Ressente-se com as feministas por desvalorizarem o papel da maternidade; querem ser mães tempo integral e agora sentem-se pressionadas a trabalhar fora do lar. Têm muitas amigas com as quais trocam apoio emocional.
c) Homens: Atrai homens que se afinam com mulheres maternais. Não escolhe, é escolhida, e pode permanecer com um homem por pena. Têm muita expectativa sobre os homens, mas frequentemente os vê como “eternos meninos”. Sua sexualidade não é muito importante. Éardente, afeutuosa e feminina, mas prefere mais ser abraçada do que fazer amor. Algumas são puritanas com sexo. Dão mais importância à amamentação do filho do que a fazer sexo com o marido.
d) Filhos: São mães extremamente dedicadas ou terríveis. Só têm consciência de suas intenções positivas, não dos elementos negativos, que, por vezes, envenenam seu relacionamento com os filhos. Quando é “deixada pelo filho”, sente que seu senso de significado foi raptado, pois seu filho era como uma extensão de si mesma, compartilhando os mesmos valores. Vive deprimida e zangada, e pára de atuar como mãe. Algumas temem o abandono desde que a criança nasce, e assim, limitam a independência e o relacionamento com os outros. Pode ser do tipo que nunca diz não ao filho, não estabelecendo limites.


6- PERSÉFONE OU CORÉ
Perséfone: mulher atraída pelo mundo espiritual, pelo que está oculto modesta e discreta, mostra-se misteriosa e mística, reservada e inquietante. Vive dividida entre o mundo real e o desconhecido,Poder ter pensamentos sombrios, apesar de compreender o hiato que existe. Ao voltar do inferno, diz a mãe que foi obrigada por Hades a comer, o que não era verdade. Deméter aceita a história e o padrão cíclico se segue.
· Enquanto personalidade, predispõe a mulher a não agir, e sim, a ser conduzida pelos outros, a ser complacente na ação e passiva na atitude.
· Coré significa “jovem anônima”, representando a jovem que não sabe quem é e está inconsciente de seus desejos e força. Sua atitude é de eterna adolescente indecisa.
· Como arquétipo de “filha da mãe”, acredita que a mãe sabe melhor qualquer coisa, quer agradar a mãe, sendo obediente.
· Como arquétipo da “mulher-criança” (antes do rapto), vive inconsciente de sua sexualidade e beleza, permanecendo assim, em geral, pelo resto da vida.
· O aspecto de rainha do inferno e guia do mesmo, desenvolve um resultado de experiência e crescimento. Simbolicamente, o inferno pode representar camadas mais profundas da psiquê. E neste caso, representa a habilidade de movimentar-se de um lado para outro,entre a realidade do "mundo real" baseada no ego e o inconsciente ou realidade arquetípica da psiquê. Quando este arquétipo está ativo, é possível para a mulher integrar os dois aspectos em sua personalidade.
· As mulheres Perséfone, podem permanecer receptivas à mudança e jovens de espírito durante toda a vida.
a) Trabalho: Inclina-se a ter vários empregos, ao invés de uma profissão, e tende para onde a família e os amigos estão. Se sobressai em empregos que não requerem iniciativa ou persistência. Gosta quando tem um patrão a quem agradar. Embora o trabalho não seja importante, pode tornar se diferente com o aspecto rainha do inferno. Então vai entrar num campo criativo, psicológico ou espiritual.
b) Mulheres: Sente-se bem com jovens como ela, e habitualmente experimenta novas situações em companhia de outras garotas, e não sozinha. Se é bonita, atrai mulheres amigas que não pensam em si mesmas como mulheres femininas, e acabam projetando sua feminilidade não desenvolvida nela, passando a tratá-la como alguém especial. Se for tratada como frágil durante a vida, assumirá esse papel. Sua amiga mais íntima, geralmente, tem forte personalidade. Perséfone evoca respostas maternais em suas relações com as mulheres.
c) Homens: Três tipos são atraídos por ela: os tão jovens e inexperientes como ela; os malandros atraídos por sua inocência e homens que não se sentem confortáveis com mulheres amadurecidas.A relação com um homem pode ser o meio que a faz separar-se da mãe dominadora. A mulher na fase Perséfone jovem, é como Bela Adormecida ou Branca de Neve, inconsciente de suasexualidade, espera o príncipe vir acordá-la. E então, se descobrem mulheres apaixonadas, um efeito positivo em sua auto-estima, pois antes sentia-se uma garota disfarçada de mulher. Por natureza, se submetem a opinião da pessoa mais forte. Não são competitivas e nem atrevidas.
d) Filhos: Não se sente autêntica como mãe, sendo insegura ( precisa ter Deméter ativada para sentir-se mãe). Pode alimentar a imaginação de seus filhos e capacidade de brincar, compartilhandoesses aspectos de si mesma com eles. Se ela cresceu além de Coiré-Perséfone, pode criá-los com vistas a valorizar a vida interior como fonte de criatividade.


7 - AFRODITE OU VÊNUS
Afrodite - Vênus: é a mulher que se deixa levar pelo amor. Feminina, atraente, pode vir a usar o amor como arma mortal, satisfazendo seus desejos. Sensual, sensível e refinada, está voltada principalmente para os relacionamentos humanos, para a beleza e inspiração nas artes.
· A mais bela das deusas.
· Seu arquétipo governa o prazer do amor e da beleza, da sexualidade e da sensualidade das mulheres.
· Afrodite impele as mulheres a preencherem funções criativas e procriativas, toda mulher apaixonada está embebida deste arquétipo.
· É mais reconhecida pela sua atratividade do que por sua aparência. Seu arquétpo cria um carisma pessoal, um magnetismo.
a) Trabalho: Deve envolvê-la emocionalmente e gosta de variedade e intensidade. Somente quando está totalmente ocupada criativamente é que age bem. Assim, é provável ser encontrada na arte, música, escrita, dança, terapeuta, professora. Faz o que gosta, não o que dá dinheiro.
b) Mulheres: Estimula ciúme, e medo de perda em muitas mulheres que veem seus maridos reagindo a elas com crescente animação. Afrodite se abala com tais cenas de ciúmes, pois ela não é possessiva nem ciumenta. Têm várias amigas extrovertidas como ela. Algumas mulheres descobrem Afrodite através de relações com o mesmo sexo.
c) Homens: Tendem para homens que não são bons para elas, geralmente criativos, complicados, mal humorados ou emotivos. Tais homens não objetivam postos elevados ou autoridade, e não querem chefiar assuntos domésticos ou serem maridos ou pais.
d) Filhos: Gostam de crianças, o que é recíproco. E consegue um nível de comunicação profundo com a criança, através de seu olhar não julgador e compreensivo. Inspira os filhos com seu entusiasmo. Seus filhos geralmente têm sucesso. Ela sabe cativar os filhos, o que pode causar danos: complexos de Édipo etc.


Fonte:roda de mulheres