31 de dez de 2016

FILMES - The Diary of a Teenage Girl


Minnie Goetze é uma adolescente da década de 1970 que busca amor, aceitação e um senso de propósito no mundo. Ela começa um complexo relacionamento com o belo namorado de sua mãe e vive suas primeiras experiências envolvendo drogas e sexo.


Assista pelo Site - Cinema Interativo:

FILMES - Olga

Olga Benário (Camila Morgado) é uma militante comunista desde jovem, que é perseguida pela polícia e foge para Moscou, onde faz treinamento militar. Lá ela é encarregada de acompanhar Luís Carlos Prestes (Caco Ciocler) ao Brasil para liderar a Intentona Comunista de 1935, se apaixonando por ele na viagem. Com o fracasso da revolução, Olga é presa com Prestes. Grávida de 7 meses, é deportada pelo governo Vargas para a Alemanha nazista e tem sua filha Anita Leocádia na prisão. Afastada da filha, Olga é então enviada para o campo de concentração de Ravensbrück

Assista pelo Site - Cinema Interativo:

31 DE DEZEMBRO - Celebração do Dia

No Brasil, celebra-se neste dia o Orixá Yemanjá, a Deusa Mãe ioruba da água salgada. 

Yemanjá ou Ymojá é uma das maiores deusas africanas. Em sua pátria, ela era a deusa ioruba regente do Rio Ogum, filha do mar, para cujo seio ela fluía. Era também a Mama Watta, a Mãe d'Água, que deu origem a todas as águas e gerou inúmeras divindades. Mesmo dormindo, ela criava, incessantemente, novas fontes de água. Era representada como uma mulher madura, com seios volumosos, longos cabelos negros, cercada de conchas e peixes, já que seu verdadeiro nome -  Yéyè Omo Ejá - significa "Mãe cujos filhos são peixes". Os vários nomes a ela atribuídos, na verdade, representam os sete caminhos pelos quais chega-se ao local de sua origem: mar, lagoa, rio, fonte, espuma, ondas e arrecifes. 

Seu culto atravessou o Atlântico, difundindo-se nas religiões afro-brasileiras, na santeria de Cuba e no vodu do Haiti. Ela foi sincretizada à Virgem Maria, adotando vários de seus nomes conforme o local do culto.

Ritual do Dia:
Sintonize-se com a intensa egrégora criada pelos adeptos de Yemanjá. Vista roupas brancas e leve uma oferenda para perto da água do mar, rio ou lagoa. Podem ser flores, colares, pulseiras, moedas, perfume, pentes, sabonetes, espelho ou champanhe. Agradeça a Yemanjá a proteção e peça-lhe um Ano Novo com muita luz, paz, saúde e amor, saudando-a na forma tradicional "Odó Iyá"!

Festa de Strenia, a deusa da terra e da abundância na Sicília, celebrando os dons de Pandora.

Danças do fogo em Samoa para a deusa do fogo vulcânico Pele.

Comemoração das Três Nornes, na Escandinávia, as deusas do destino.

Noite dos Desejos, no México e o Dia de Sorte, no Egito, celebrando a deusa com cara de leão Sekhmet.

Festa da Fada Dourada, no País de Gales.

Antiga celebração, na França, da deusa da abundância Abonde, equivalente da romana Abundita, da celta Habonde ou Habondia. Seu culto sobreviveu na Europa até a idade Média, reverenciada, especialmente, pelas bruxas e pelos magos.

Expulsão dos demônios do azar e chamada dos espíritos da sorte, no Japão. As pessoas, vestidas com máscaras grotescas e roupas de palha, andavam pelas ruas, fazendo muito barulho e coletando de cada casa dinheiro, bolos de arroz e saquê.


Cerimônia Hogmanay, para o deus solar Hogmagog, na Escócia, afastando os maus espíritos usando máscaras e fazendo barulho. 

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

30 de dez de 2016

30 DE DEZEMBRO- Celebração do Dia

Inicio do festival africano Kwanza, com rituais dos povos Kwanza e Swahili celebrando a colheita e os primeiros frutos. O festival durava até primeiro de Janeiro, sendo dedicado às Sete Forças originais que, na tradição ioruba, são as divindades 
Obatalá, Yema, Oyá, Oxum, XangôOgum e Elegbá.

Ritual do Dia:
Acenda sete velas nas sete cores do arco-iris, correspondendo aos sete planetas e invoque as bênçãos dos Sete Senhores regentes das Sete Forças originais e dos Sete Raios para estarem sempre presentes em sua vida no próximo ano.
Limpe sua casa seguindo a tradição africana. Salpique sal grosso nos cantos da casa, começando na porta da frente e finalizando na dos fundos. Respingue água-ardente sobre uma vassoura nova e passe-a sobre todas as paredes e cantos, de cima para baixo. Andando em sentido anti-horário, junte todo o sal e jogue-o em água corrente. Molhe um pano em uma solução feita com uma colher de amônia, uma colher de açúcar mascavo e nove gotas de essência de lavanda diluídas em um litro de água. Passe o pano no chão da casa toda enquanto diz, em voz alta, o que deseja atrair e realizar em sua casa.

Você também pode preparar uma garrafa mágica para sua proteção e segurança. Escolha uma garrafa com a boca larga que tenha uma boa tampa. Escolha os ingredientes de acordo com seu objetivo. Consagre-os e encha a garrafa, mentalizando de forma clara e firme seu objetivo. Invoque o Orixá de sua vibração original, seu anjo tutelar, seu mestre espiritual e seu guardião. Sele a garrafa riscando símbolos ou pronunciando mantras. Os ingredientes podem ser para proteção - angelica, alho, alecrim, alfinetes, agulhas ou pregos; para atrair dinheiro - canela, louro, cravo, cinco folhas e pedaços de prata; para harmonização - jasmim, canela, sálvia, casca de laranja e pétalas de rosa; para a saúde - lavanda, casca ralada de laranja e limão, tomilho e eucalipto.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

29 de dez de 2016

29 de Dezembro - Lua Nova

A imagem pode conter: sapatos e atividades ao ar livre
<3 Mandala Lunar 2017 <3


Essa noite, com a lua nova entrando no signo de capricórnio, tem início a 1ª Lunação da Mandala Lunar de 2017. 

A lua nova nos convida a celebrar o início de um novo ciclo, de morrer e renascer, de começar de novo e de novo.


Aproveite essa noite de lua nova e plante suas intenções para o ano que se aproxima, utilizando essa energia para potencializar sua capacidade de criar a própria realidade e materializar sonhos e projetos. Faça um pequeno ritual de agradecimento por tudo recebido no ano que passou deixando para trás mágoas, frustrações e padrões de comportamento que não te servem mais e desenhe suas melhores intenções para 2017.


Desejamos a todas uma linda jornada de autoconhecimento nesse ano que se inicia. Seguimos juntas e em conexão.

Com amor.
IeveNaíla e Vic

IdealizadorasIeve Holthausen, Naíla Andrade e Vic Campello
IlustraçõesChana de Moura, Melissa Webster, Paola Alfamor, Val Kuhn e Victoria Campello

29 DE DEZEMBRO- Celebração do Dia

Dia das Ninfas, na Grécia, celebrando 
Andrômeda e Ariadne.

O mito grego descreve Ariadne como a filha do rei de Minos, em Creta, que deu um novelo de linha para que o herói Teseu, ao desenrola-lo, pudesse encontrar o caminho de saída do labirinto de Minos. Após matar o Minotauro, Teseu levou Ariadne consigo e a deixou depois em outra ilha, Naxos. Lá ela foi encontrada pelo deus Dioniso, que a transformou na líder de suas sacerdotisas - as Mênades - e na mãe de seus inúmeros filhos. Ao morrer durante um parto, ela foi transformada na constelação de Aridella.

Originariamente, Ariadne era a deusa do amor e da sexualidade de Creta, reverenciada exclusivamente por mulheres. A chegada dos conquistadores gregos modificou seu mito original, mostrando claramente a fusão do antigo culto matrifocal aos elementos patriarcais.

Andrômeda era a deusa das estrelas e planetas, da beleza e da magia. Segundo o mito, Poseidon ofereceu-a como tributo aos monstros marinhos para que eles não mais destruíssem os navios e inundassem as cidades. Ela foi salva pelo herói Perseu e, posteriormente, transformada na Constelação que leva seu nome.

Dia das mulheres, na Africa, quando elas celebram seu dia com festas e muita alegria.

Ritual do Dia:
Reserve algum tempo para você neste dia. Faça um retrospecto do ano que passou, avalie suas conquistas e medite sobre suas derrotas. Concentre-se em suas qualidades e prepare-se para as novas possibilidades e oportunidades no próximo ano.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

28 de dez de 2016

28 DE DEZEMBRO - Celebração do Dia

Comemoração de Cliodhna, a deusa irlandesa da beleza, moradora da Terra Prometida e que legou aos celtas o dom da eloquência.

Segundo a lenda, todo aquele que beijasse a Blarney Stone, sua pedra sagrada em Cork, na Irlanda, adquiria o dom da oratória. O desafio era a difícil localização da pedra, que deveria ser beijada com a pessoa de cabeça para baixo, pendurada à margem de um barranco.

Outra deusa irlandesa, com nome similar, era Clidna, uma das Tuatha de Danaan, as divindades dirigidas pela deusa Danu. Clidna aparecia como um pássaro marinho, regendo a nona onda de cada série de ondas. Esta onda, por ser maior que as outras, detinha poderes mágicos, sendo chamada de "a onda de Clidna". Quando assumia forma humana, Clidna aparecia como uma mulher de extraordinária beleza.

Na Escandinávia, celebração a Gunnlud, a deusa da educação, do conhecimento, padroeira das artes e guardiã do elixir da poesia, "odrerir". Segundo a lenda, Odin cobiçava tanto os potes em que Gunnlud guardava o hidromel sagrado, que acabou por seduzi-la para roubar o elixir da inspiração.

Celebração das matriarcas e deusas tecelãs: A Mulher Aranha, A Mulher que Muda, A Mulher de Cobreas deusas Arachne, Arianrhod, Athena
Chalchiuhtlique, Befana, Morrigan, as três Nornes, as Parcas e as três Mães.

Festival anual de paz e renovação espiritual na China. Um grande cavalo de papel, contendo nomes e pedidos, era queimado na frente de um templo para que a fumaça levasse-os para o céu.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

27 de dez de 2016

27 DE DEZEMBRO - Celebração do Dia

Jhul, festival nos países escandinavos, celebrando com fogueiras e danças o casal divino Freyja, a deusa do amor, da beleza e da fertilidade e seu irmão Frey, o deus da fertilidade e da agricultura.

O nome de Freya originou, em inglês, o do sexto dia da semana, dedicado ao planeta Vênus. Ela representava a essência do amor e da sexualidade, conhecida por sua intensa vida amorosa e seus inúmeros amantes, embora também tivesse um marido.

Freya também era a chefe das Valquírias, as amazonas celestes que recolhiam as almas dos guerreiros mortos em combate, afirmando, assim, sua atuação como uma deusa da morte. Como deusa do amor, ela era reverenciada como a mais bonita das deusas nórdicas, vivendo em um vasto palácio, para onde eram levados as almas dos guerreiros. Era de lá que ela saía em sua carruagem dourada puxada por gatos, o que a tornava, também, a Senhora dos Gatos, como a deusa egípcia Bast

Como Senhora da Magia, Freya era a padroeira dos xamãs e das"volvas". Elas eram sacerdotisas que praticavam "seidr", uma complexa forma de magia estática e sexual, de projeção astral e de técnicas oraculares usando runas, cuja magia Freya ensinou ao deus Odin. 

Freya tinha um poderoso talismã, o colar mágico Brisingamen, confeccionado magisticamente pelos gnomos, que lhe dava acesso à Arvore do Mundo e domínio sobre os elementos e os seres elementais.

Homenageava-se também Frigga ou Frigg, a deusa da natureza e do tempo, protetora das famílias e das tribos, a Senhora Branca amada por todos.

Muitos pesquisadores e autores afirmam que as deusas Freya e Frigga são aspectos de uma só deusa, facetas complementares da mesma energia feminina. No entanto, Frigga tinha atributos bem diferentes: ela era a Mãe e guardiã das famílias, padroeira do casamento e do lar. Uma das esposas do deus Odin, mãe do deus solar Baldur, a loura deusa Frigga morava em Fensalir, seu lindo palácio aquático. Vestida com um manto de penas de falcão, ela tecia os fios dourados do Sol ou a trama delicada das nuvens.

Ritual do Dia:
Invoque os poderes mágicos de Freya, de Frigga e de suas sacerdotisas sagradas quando precisar reforçar seu magnetismo pessoal ou seus poderes psíquicos. Escolha uma música adequada, como a "Cavalgada das Valquírias", chame os poderes dos elementos e peça às deusas para abençoarem e imantarem um colar, utilizando as Runas para conseguir esclarecimentos ou orientações. Agradeça oferecendo-lhes pão, vinho e uma maçã untada com mel.

Nos Pueblos Hopi, festeja-se o retorno para a terra dos Kachinas, os espíritos ancestrais e das divindades da natureza. 

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

26 de dez de 2016

MÚSICA

https://www.youtube.com/playlist?list=PLL08saycBFhGH9cetoSWLq4qHomGQ88IT

https://www.youtube.com/playlist?list=PLQbmoVYMEv1L6DsZ_J_1Dq32wx8NDgCFq

https://www.youtube.com/playlist?list=PLYrb4-4bgRh5HiDLNr4TjwmMVF8oqTJXm

https://www.youtube.com/playlist?list=PLRlhIio_ObBoVzkpvRRhLnU4lOOE7E-ZE

https://www.youtube.com/watch?v=dXtD1Jg9CaI

https://www.youtube.com/playlist?list=PL14ZHy2q8RFd1MYBxEl_RwNwh-QkIeOK5

https://www.youtube.com/playlist?list=PLqM25zatbalbjRizlLK30nWng2amZ6wxz


26 DE DEZEMBRO - Celebração do Dia

Celebração de Lilith, a deusa suméria da sexualidade.


Mencionada nos antigos mitos hebreus como a primeira mulher de Adão, Lilith foi criada ao mesmo tempo que ele, tendo desfrutado dos mesmos direitos. Adão, no entanto, queria que ela fosse mais submissa, ficando sempre por baixo dele durante o ato sexual. Lilith rebelou-se e fugiu, escondendo-se às margens do Mar Vermelho.

Em lugar de Lilith, Deus criou então Eva da costela de Adão. Eva, por não lhe ser igual, precisava acatar sua supremacia, obedecendo a suas regras patriarcais. As escrituras judaicas transformaram então Lilith em uma figura demoníaca, Lilithu, a Mãe dos Demônios, que deu origem, na Idade Média, aos íncubos e súcubos, vampiros sexuais masculinos e femininos. 

Originariamente, Lilith era a padroeira das gestantes, das mães e dos recém-nascidos, mas as deturpações judaicas denegriram-na, tornando-a a Rainha das Bruxas, o demônio que roubava o leite das mães, as almas das crianças e a virilidade dos homens. Recomendava-se usar amuletos cabalísticos contra os poderes nefastos de Lilith e praticar a abstinência sexual. 

Lilith, atualmente, é o nome usado na astrologia para designar tanto a Lua Negra quanto um asteróide que influencia a sexualidade humana.

Ritual da Dança da Tartaruga, tradição nativa norte-americana celebrando a Igaehinvdo, a deusa do Sol e do dia, irmã da deusa da terra Elihino e da deusa do milho Sehu. Se devidamente homenageada, Igaehinvdo não queimará a terra com os seus raios.

Comemoração da deusa nórdica Sunna, a Senhora Solar, a noiva brilhante do céu, responsável pela manutenção da vida na Terra.

Nascimento de Horus, filho da deusa Ísis e do deus Osíris.

Nascimento de Buda, filho da deusa Maya, na Índia.

Festival Junkanoo nas Bahamas, honrando todas as divindades. com procissões de máscaras e fantasias, músicas e danças.


Fim dos Dias de Halcyone, dedicados às Plêiades.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur.  http://www.teiadethea.org/

25 de dez de 2016

25 DE DEZEMBRO - Celebração do Dia

Os festejos de Natal originaram-se nas antigas celebrações universais do solstício de inverno. Apenas no século IV foi escolhida esta data, que coincide com o nascimento de vários deuses solares e da vegetação, como Tammuz, Osíris, Attis, Dioniso e MitraPor ser basicamente um festival da luz e do Sol, era dedicado aos deuses solares nascidos de suas Mães Virgens:  Spenta Armaiti, MirraÍsis, Maria, Rhiannon e Coatlicue

À meia-noite deste dia, os sacerdotes emergiam dos altares subterrâneos anunciando "A Virgem deu à luz, a escuridão diminui"

As civilizações mexicanas, peruanas e dos nativos americanos, também celebravam o nascimento da Criança Divina.

Em Roma, celebrava-se o "Dies Natalis Invicto", o nascimento do Sol Invicto e o fim dos festejos libertinos da Saturnália.

Sacaea, comemoração do nascimento do deus solar de sua Divina Mãe na Babilônia.

Celebração da deusa Astarte, na Mesopotâmia, conhecida como Athar Samayin pelos aramaicos, Astoreth pelos canaanitas e Aisha Qandishapelos marroquinos. Ela era a Grande Mãe, regente do céu e do planeta Vênus.

No folclore alemão, há uma lenda sobre uma bruxa chamada Lutzelfrau, que voava montada em sua vassoura levando infortúnios para aqueles que não a presenteavam. De acordo com um antigo costume dos camponeses, neste dia as crianças usavam máscaras e iam de casa em casa pedindo dinheiro e doces em nome de Lutzelfrau. A origem desta lenda é a antiga celebração da deusa Perchta, a Mãe Terra, que era homenageada com oferendas para que proporcionasse um ano abundante e feliz.

Continuação de Juvenália, a festa romana das crianças, que recebiam presentes e se divertiam com jogos, teatro de marionetes e danças com fantasias e máscaras.

Antigo festival Jolnir, na Escandinávia, honrando o deus Odin com oferendas de cervejas especialmente preparadas para essa ocasião, homenageando também as almas dos heróis mortos em combate.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur. http://www.teiadethea.org/

24 de dez de 2016

FILMES - O Conto da Princesa Kaguya

Esta animação é baseada no conto popular japonês “O corte do bambu”. Kaguya era um minúsculo bebê quando foi encontrada dentro de um tronco de bambu brilhante. Passado o tempo, ela se transforma em uma bela jovem que passa a ser cobiçada por 5 nobres, dentre eles, o próprio Imperador. Mas nenhum deles é o que ela realmente quer. A moça envia seus pretendentes em tarefas aparentemente impossíveis para tentar evitar o casamento com um estranho que não ama. Mas Kaguya terá que enfrentar seu destino e punição por suas escolhas.

Assista pelo Site - Cinema Interativo:
http://www.cinemainterativo.com/dublado/assistir-o-conto-da-princesa-kaguya-dublado-online/

24 DE DEZEMBRO - Celebração do Dia

"Modresnacht", a Noite da Mãe, antiga festa anglo-saxã e alemã dedicada à Grande Mãe Nerthus ou Frau GodeMuitas das tradições deste festival sobreviveram e foram adaptadas às celebrações do atual Natal. Em lugar de fogueiras festejando o nascimento da Criança Divina, passaram a ser usadas tochas, depois velas inscritas com símbolos rúnicos.  As árvores sagradas, reverenciadas como símbolos da Arvore do Mundo, foram substituídas pelo pinheiro decorado com bolas (representações dos planetas) e o Anjo no topo (em vez da imagem da Deusa). 

Nerthus era conhecida como "A Mãe da Terra do Norte" e simbolizava a fertilidade, a paz e a harmonia familiar.


Neste dia, os povos antigos ofertavam presentes para as Divindades
agradecendo as dádivas recebidas ao longo do ano. Atualmente, as pessoas presenteiam-se entre si, a celebração tendo perdido seu significado sagrado para tornar-se uma reunião familiar e comercial.

Juventália, celebração romana em homenagem a Juventas, a deusa da juventude equivalente à grega Hebe.

Na Finlândia, acendem-se velas brancas nos túmulos dos ancestrais, pois acredita-se que os fantasmas dos falecidos voltam para suas casas nesta noite.

Uma antiga crença européia afirma que os pedidos de casamento feitos e aceitos nesta noite asseguram casamentos longos e amorosos.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur. http://www.teiadethea.org/

23 de dez de 2016

23 DE DEZEMBRO- Celebração do Dia

Em Roma, Larentália, a celebração de Acca Laurentia, Larunda ou Lara, a mãe dos Lares, os deuses protetores dos lares. Comemorava-se também o retorno da luz, após a noite mais escura do ano.

Akka era uma deusa ancestral da Anatólia, chamada de "A Avó Parteira", que ajudou o nascimento dos deuses. Há ainda uma deusa com atributos similares, Akna, na América Central e também Mader-akka, a Mãe Divina dos lapões.

Acca Laurentia era considerada a parteira divina de Romulus e Remus, os fundadores de Roma, tendo tirado-os do rio Tibre, onde flutuavam abandonados em um cesto. Foi desta mesma maneira que Akka, a deusa da Anatólia, salvou o herói Sargon.

Na Grécia, comemoração de Sêmele e Dioniso. Sêmele era a deusa grega do amor e da sexualidade, amante de Zeus e mãe do deus Dioniso.

Na tradição celta, o "dia branco", sem nenhuma regência de árvore ou letra do alfabeto Ogham. Este dia chamava-se "O segredo da pedra que não foi talhada", simbolizando o potencial oculto existente em todas as coisas.

Dia dos Bobos, na Europa antiga, quando o bobo da cidade era coroado como rei e o verdadeiro rei simulava uma morte temporária para renascer depois.

Celebração do dia de Hathor, no Egito, com a Noite das Lanternas marcando o sepultamento final de Osíris. 

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur. http://www.teiadethea.org/

22 de dez de 2016

Signo de Capricórnio (22/12 - 20/1)


Capricórnio // Capricorn ♑

Face Positiva: Enfrenta os problemas com sabedoria e praticidade. É generoso e inspira confiança. Tem ambição na medida certa. É cuidadoso ao falar de outras pessoas. Bem-humorado, supera com facilidade as frustrações. É eficiente, persistente e consegue o sucesso por merecimento.

Face Negativa: Pretensioso, acha que é melhor em tudo. Muito materialista, pode se tornar mesquinho e avarento. Leva a vida com muita rigidez: não abre espaço para a descontração e os divertimentos. Entra facilmente em pânico quando algo foge de seu controle ou não sai como planeja.


FONTE: Eu sei que sou mortal e a criatura de um só dia; mas, quando perscruto o conjunto dos círculos giratórios das estrelas,...