16 de mar de 2017

16 de Março - Deusa Kuan Yin

Dia de Kwan Yin, na China e no Japão, a protetora dos lares e deusa da compaixão, da cura, da bondade e da felicidade. 

Kwan Yin é um "bodhisattwa" feminino, o equivalente chinês da Virgem Maria. Seu nome significa "aquela que ouve o choro do mundo", atendendo a cada oração que lhe é enviada. Ao pronunciar-se seu nome, alcança-se alívio para as dores físicas e morais. Seus seguidores não comem carne e não praticam nenhum ato de violência, vivendo de forma harmônica, fazendo caridade. As estátuas de Kwan Yin representam-na segurando galhos de salgueiro ou coberta de jóias; seus gestos são de generosidade e banimento dos medos e dificuldades. As pessoas usam suas estatuetas para meditação, repetindo constantemente seu nome para atrair seus dons de paz e compaixão.


Kuan Yin - COMPAIXÃO

Fiz o juramento
e mantive a minha palavra
Atingi a iluminação mas em vez de passar
a um estado eterno de bem-aventurança mantive a forma humana
até todos os seres atingirem a iluminação
Manter a forma humana
fez-me capaz de conhecer mais profundamente a dor que os outros sentem
Por causa dos meus sentimentos profundos
por causa da minha compreensão da miséria e do sofrimento
por causa da minha decisão sou chamada A Piedosa
Aquela Cujo Nome Alivia Todo Sofrimento 
Mas você não preferiria esperar
sentir o que os outros sentem sofrer o que sofrem os outros 
reconhecer a dor deles como sua
esperar até o fim de todo sofrimento e dor
até que todos os seres alcancem a iluminação? 
Para mim não havia outra escolha.


Mitologia -  Kuan Yin, ou "aquela que ouve os lamentos do mundo" é o boddhi-satva da Compaixão no budismo chinês. Ela vive na sua ilha paradi-síaca de P'u T'o Shan, onde, diz-se, ouve todas as preces. Ela é tão poderosa que a simples menção do seu nome alivia o sofrimento e as dificuldades. Tendo optado por permanecer neste mundo depois de alcançar a iluminação, Kuan Yin jurou manter sua forma humana até todos os seres atingirem a iluminação. No Japão, ela é conhecida como Kwannon.


Significado da carta - Kuan Yin aparece misericordiosamente na sua vida para dizer que está na hora de alimentar a totalidade com a compaixão — compai-xão pelos outros, por seus entes queridos, por si mesma. Você fica irri-tada ou não se interessa pelo sofrimento dos outros? O que a afasta da sua compaixão? Você proporciona a si mesma espaço e bem-estar quando está aquém da sua ideia de perfeição? Você se surpreende com vontade de ferir os outros porque foi ferida? Tem medo de abrir o seu coração às dificuldades dos outros porque isso pode feri-la? Com-paixão é a capacidade de ouvir profundamente e de dar aos outros e a si mesma espaço para experimentar tudo o que deve ser experimen-tado, e sentir tudo o que deve ser sentido. Kuan Yin diz que o cami-nho para aliviar o sofrimento é desenvolver a compaixão por si mes-ma. Desse lugar piedoso em seu interior, você pode manifestar a compaixão no exterior.

Sugestão de ritual: jornada até Kuan Yin

Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Faça uma inspiração profunda e solte o ar lentamente. Em seguida, respire fundo para o seu coração e solte suavemente o ar enquanto sente que o coração se expande. Inspire profundamente e exale com um suspiro do coração. Veja, sinta ou perceba a si mesma dentro do coração. Ouça o coração batendo e sinta-o pulsando ao seu redor. Dentro do seu coração existe uma ponte de arco-íris. Você anda pela ponte do arco-íris e começa a atravessar as grandes águas. Caminhando pela ponte, você se sente cada vez mais relaxada. As grandes águas são serenas, tranquilas; caminhar pela ponte é uma delícia; o ar é refrescante e agradável.

Do outro lado da ponte do arco-íris fica a ilha paradisíaca de Kuan Yin, P'u T'o Shan. Quando você chega, ela a cumprimenta e lhe entrega uma bela flor. Ao inspirar o perfume da flor, você sente seu coração se abrir. Ela toma você pela mão e a conduz através da vegetação abundante, exuberante e perfumada até o seu pavilhão. Depois de acomodá-la com carinho e consideração, ela lava os seus pés e então serve a você o que lhe deve ser servido. Ela pede para você contar seus problemas, e você o faz. Ela ouve com profunda aten-

ção. Você se sente protegida e amada no âmago do seu ser. Sente-se completa e inteiramente ouvida, vista; sente que prestam atenção a você. Isso é maravilhoso e profundamente benéfico. Você se sente cada vez mais leve e à vontade consigo mesma-. Fique sentada com Kuan Yin até estar pronta para voltar. Ela a leva até a ponte do ar-co-íris e a abraça. Depois de agradecer, você inicia o caminho de vol-ta pela ponte, sentindo-se revitalizada e cheia de energia.

A viagem de volta pela ponte do arco-íris é curta, e você logo chega ao seu coração. Inspire profundamente e, enquanto solta o ar, volte para o corpo. Respire fundo outra vez e, ao soltar o ar, abra os olhos. Seja bem-vinda!

*data extraída da Mandala Lunar 2017Ieve Holthausen, Naíla Andrade e Vic Campello 
*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur & "O Oráculo da Deusa" de Amy Sophia Marashimsky. *imagem da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário